PUBLICIDADE
Topo

UOL Esporte vê TV

Bebeto se impressiona com trabalho de Tite na seleção: 'Vai dar frutos'

Bebeto no "Bem, Amigos" - Reprodução/SporTV
Bebeto no "Bem, Amigos" Imagem: Reprodução/SporTV

Colaboração para o UOL,em São Paulo

05/05/2020 13h41

Tetracampeão mundial em 1994, Bebeto aproveitou a participação no Jogo Aberto desta terça-feira para elogiar o trabalho de Tite. Chefe de delegação nos amistosos contra Senegal e Nigéria, em outubro do ano passado, o ex-jogador revelou ter se encantado com o treinador da seleção brasileira.

Confiante no grupo formado por Tite, Bebeto afirmou que a seleção campeã da última Copa América está 'no caminho certo'.

"Eu fui chefe de delegação nos jogos contra Nigéria e Senegal, e eu vi de perto o trabalho do Tite. Eu fiquei impressionado. Eu fui a todos os treinamentos, participei das preleções dele e não tenho dúvida nenhuma que mais cedo ou mais tarde esse grupo vai dar frutos. Eu fiquei encantado. Eu acho que o Brasil com o Tite está no caminho certo. Eu acredito demais nesse grupo, nessa comissão, e vamos ter paciência que esse fruto virá", afirmou.

Além de Tite, o ex-atacante fez questão de exaltar seu ídolo, Zico. Se espelhando no Galinho, Bebeto contou que, após a conquista do tetra, ofereceu uma camisa da seleção ao companheiro de Flamengo.

"O Zico sempre foi o meu ídolo, sempre foi um cara que me ajudou. Eu sempre me espelhei no Zico. Ele é exemplo de pai, de família, de amigo, de tudo. Acho que eu segui os seus passos. Conversava muito comigo, me dava carona. Um cara que eu tenho um carinho especial, e a minha camisa do tetracampeonato foi para ele. Eu guardei com muito carinho e entreguei para ele", falou.

Volta do futebol

Em relação à volta do futebol brasileiro, paralisado por conta da pandemia de coronavírus, Bebeto colocou a saúde humana em primeiro lugar.

"Eu acho que o futebol é muito importante na vida da gente, mas o mais importante é a vida. Eu acho que a vida é o nosso bem maior. A gente está vivendo um momento muito difícil na vida, essa pandemia é um momento de reflexão. Eu acho que o mais importante é a vida, a gente tem que preservar a vida de todos os brasileiros, de todo esse mundo aí. O futebol é tudo, mas em primeiro lugar está a vida. A preocupação é que todos fiquem em casa mesmo, que o negócio é sério mesmo", opinou Bebeto, que citou a morte de Jorginho, massagista do Flamengo, por covid-19:

"Ontem mesmo perdemos uma pessoa que eu tenho um carinho muito grande, que é o Jorginho. Roupeiro e massagista da minha esposa, do meu filho, meu também. Ele foi tudo ali no Flamengo, e foi embora com a covid-19. O negócio não é brincadeira não, é sério mesmo. A gente tem que se cuidar", completou.

UOL Esporte vê TV