PUBLICIDADE
Topo

São Paulo

Grupos políticos formam coalizão e eleição do SPFC pode até ter chapa única

Julio Casares - Rubens Chiri/saopaulofc.net
Julio Casares Imagem: Rubens Chiri/saopaulofc.net

José Eduardo Martins

Do UOL, em São Paulo

29/04/2020 23h37

A eleição presidencial do São Paulo pode até ser protocolar. Nas últimas semanas, conselheiros fizeram reuniões virtuais para discutir as chapas. E os nomes que aparecem mais fortes são os de Júlio Casares como o candidato à presidência da diretoria, e o de Olten Ayres de Abreu Júnior, que se coloca como opção para o Conselho Deliberativo. Sete grupos políticos, tanto de oposição à gestão de Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, quanto da situação, fecharam apoio à chapa e ainda não há oficialização de outra candidatura.

O pleito será realizado em dezembro. O conselheiro Newton Ferreira articula uma chapa de oposição, e a convenção deverá ser no fim de junho — como o próprio Newton informou para seu mailing no whatsapp. Os nomes cotados são os de Marco Aurélio Cunha, José Carlos Ferreira Alves, Roberto Natel e Sylvio de Barros. Até o momento nenhum outro possível candidato conseguiu se viabilizar.

Até agora, Júlio Casares e Olten Ayres já têm o apoio de sete grupos (Sempre Tricolor, Legião Tricolor, Vanguarda, Participação, Movimento São Paulo, Força São Paulo e São Paulo sempre vencedor — este último do presidente do Conselho Consultivo, José Eduardo Mesquita Pimenta), e ainda negociam com outros líderes dentro do Conselho. Segundo apurou o UOL Esporte, o presidente Leco deve se manter neutro na disputa.

Olten - Reprodução - Reprodução
Olten Ayres de Abreu Jr.
Imagem: Reprodução

A eleição será realizada em dezembro e, segundo o estatuto, Leco não pode concorrer à reeleição. No total, são computados 260 votos (100 de conselheiros eleitos e outros 160 de vitalícios). Em novembro, será realizado o pleito para os integrantes do Conselho Deliberativo.

Ainda não há uma previsão de quando as atividades no clube serão retomadas por causa da pandemia do novo coronavírus, mas as reuniões virtuais entre os dirigentes devem seguir nos próximos dias.

São Paulo