PUBLICIDADE
Topo

Na Grécia, Douglas não esconde carinho pelo Fluminense e gratidão por Abel

Douglas comemora gol que abriu o placar para o Fluminense contra a Ponte no Brasileirão de 2017 - Nelson Perez/Fluminense
Douglas comemora gol que abriu o placar para o Fluminense contra a Ponte no Brasileirão de 2017 Imagem: Nelson Perez/Fluminense

Alexandre Araújo e Leo Burlá

Do UOL, no Rio de Janeiro (RJ)

24/04/2020 04h00

Criado em Xerém, o volante Douglas se despediu do Fluminense no meio de 2018, após 12 anos de clube. Depois de defender Corinthians e Bahia, o jogador, atualmente, está no PAOK, da Grécia, mas, apesar de quase dois anos longe, não esconde o carinho pelo Tricolor carioca e salienta a importância que o técnico Abel Braga teve em sua carreira.

Destaque nas categorias de base, Douglas chegou ao elenco profissional em 2015, firmando-se no grupo e ganhando espaço no time no ano seguinte. Hoje na Europa, ele admite ser cedo para pensar em um retorno ao Brasil, mas garante que vê o Fluminense com bons olhos quando uma volta estiver no radar.

"Tenho um carinho muito grande pelo Fluminense, pois foi o clube que me revelou, que me projetou para que eu trilhasse o meu caminho no futebol. Tenho muitos amigos lá ainda, tanto jogadores, quanto funcionários, e isso fica guardado. Acabei de chegar na Europa e não consigo pensar em uma volta ao Brasil, mas futuramente, é um clube que sempre olharei com bons olhos", disse, ao UOL Esporte.

No fim de 2016, o Flu anunciou o retorno do técnico Abel Braga. Poucos meses depois, Douglas, que atravessava um momento de afirmação no clube, foi diagnosticado com uma doença autoimune chamada artrite reativa. `

Douglas (de costas) e Marquinho ouvem instruções do técnico Abel Braga - NELSON PEREZ/FLUMINENSE F.C. - NELSON PEREZ/FLUMINENSE F.C.
Imagem: NELSON PEREZ/FLUMINENSE F.C.

Após tratamento, o volante voltou a atuar no fim do Brasileiro de 2017. Àquela altura, Wendel já aparecia e Douglas não teve sequência, mas demonstra gratidão pelo apoio que teve do então treinador, que sempre o elogiou.

"Abel é um cara incrível, um desses diferentes que tem no futebol. Sempre me apoiou, demonstrou confiança no meu trabalho e isso fazia com que eu me sentisse forte para desempenhar meu futebol. É uma relação de muito carinho e gratidão, sem dúvida nenhuma. Torço muito por ele e sei que ele sente o mesmo por mim. O contato é menor agora, mas com certeza é um cara que tem um lugar especial em minha vida".

Questionado se algum técnico o marcou, ele afirmou que todos "têm importância", mas voltou a salientar Abel.

"Não tem um específico, talvez o Abel num momento de afirmação no Fluminense. Mas todos eles têm importância para mim, pois sempre busquei aprender com cada um, de uma forma ou outra. Sou grato pelos técnicos que tive até hoje", garantiu.

Fluminense