PUBLICIDADE
Topo

Cruzeiro

Cruzeiro bancou R$ 86 mil de Wagner Pires de Sá com bares, chopes e clínica

Presidente Wagner Pires de Sá, do Cruzeiro - Bruno Haddad/Cruzeiro
Presidente Wagner Pires de Sá, do Cruzeiro Imagem: Bruno Haddad/Cruzeiro

Enrico Bruno e Thiago Fernandes

Do UOL, em Belo Horizonte

23/04/2020 17h18

A farra dos cartões corporativos do Cruzeiro durante a gestão de Wagner Pires de Sá não se resumiu à viagem de quase R$ 14 mil do ex-presidente a Arraial D'Ajuda, distrito de Porto Seguro, no litoral sul da Bahia. Ele gastou mais R$ 86.242 durante os dois anos de mandato em bares e restaurantes de Belo Horizonte e outras cidades, encomendas de chope e uma clínica médica.

O UOL Esporte teve acesso à planilha feita pelo conselho gestor para averiguar gastos exorbitantes da gestão passada. A reportagem divide os gastos de Wagner Pires de Sá em quatro pontos. Novamente procurado, o ex-cartola do clube não se manifestou. A nossa equipe tentou contato por meio de telefonemas e mensagens de texto.

Bares e restaurantes em Belo Horizonte

Entre os dados, o mais elevado é o valor pago em bares e restaurantes de Belo Horizonte. Ele gasta R$ 42.734,00 na cidade, entre estabelecimentos de luxo e bares de menor porte.

O predileto de Wagner Pires de Sá é o Dartagnan Bistrô, onde ele usou o cartão corporativo do clube para pagar R$ 13.133,00 em contas. O Mudesto Butiquim aparece na segunda posição, com R$ 3.580,00 gastos. No Hotel Fasano, ele desembolsou R$ 3.383,00. O então dirigente cruzeirense gastou R$ 2.813 no Favorita RDB Alimentos LTDA EPP. Dentre as contas que superam os R$ 2 mil, está o Armazém Medeiros, com R$ 2.194 gastos no local.

Wagner Pires de sá ainda teve gastos em outros restaurantes. O Kei Cozinha Japonesa recebeu R$ 1.999,00 do cartão corporativo do clube. O Amigos Restaurante embolsou R$ 1.743, enquanto o Bebidas EFC LTDA assegurou R$ 1.041 no período de seu mandato. Ele teve 64 gastos inferiores a R$ 300 que totalizam R$ 1.610,00.

A lista de gastos com gastronomia inclui ainda restaurantes como a Churrascaria Porcão (R$ 380), Carretão Pampulha (R$ 363), Udon Restaurante Japonês (R$ 441), La Macelleria (R$ 553), Dona Lucina II (R$ 378), Olegário Pizzaria (R$ 729), Provincia di Salermo (R$ 626), Ria Restaurante (R$ 768), Restaurante São Bento (R$ 750), Olegário Jardins (R$ 544) Coco Bambu (R$ 337).

Bares e restaurantes fora de BH

Ao todo, Wagner Pires de Sá gasta R$ 22.417,00 em restaurantes fora de BH durante o seu mandato. A maior conta dentre os bares e restaurantes de outras cidades é no Restaurante Bar 14 BIS. Foram R$ 3.663 desembolsados no local do Rio de Janeiro (RJ). O segundo lugar é da Churrascaria Na Brasa, de Santo Antônio do Monte (MG), onde desembolsou R$ 2.763,00. Completa o pódio uma lanchonete também da cidade carioca, onde o ex-presidente gastou R$ 1.349,00. Ainda na capital fluminense, Wagner Pires de Sá usou o cartão do clube para pagar contas que somam R$ 1.256,00 no Soho Restaurante.

Em São Paulo, o dirigente também aproveitou estabelecimentos de luxo. O Restaurante A Figueira Rubaiyat (R$ 1.166) e o Restaurante Bourbon (R$ 1.272) contaram com a presença do ex-dirigente.

Ele ainda foi em locais na Região Metropolitana de Belo Horizonte, como o Posto Chefão (R$ 245) e o Mercado da Boca (R$ 200). Foram 53 contas inferiores a R$ 200, que totalizam R$ 1.323,00 gastos pelo antigo cartola.

Chopes e presentes

Em julho de 2018, ainda usando o cartão do Cruzeiro, Wagner Pires de Sá desembolsou R$ 10.643,00 em três estabelecimentos distintos. Ele pagou R$ 4.670 ao Georgia Casa Comigo, R$ 3.971 ao Roberta Mourão-Brindes e Presentes e R$ 2.002 ao Chopp Brahma Express.

Clínica médica

No mesmo levantamento feito pelo conselho gestor do Cruzeiro, há gastos de Wagner Pires de Sá com uma clínica que tem as seguintes especializações: Anestesiologia, Cirurgia geral, Cirurgia plástica, Cirurgia vascular, Coloproctologia, Endoscopia, Ginecologia e obstetrícia, Odontologia e Oftalmologia. O ex-dirigente desembolsa R$ 9.943 no local. Ainda são gastos R$ 355 no Elmed Cirúrgica e Meias Compressivas e R$ 150 no Laboratório Hermes Pardini.

Cruzeiro