PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Acertos e erros na decoração marcam home office do jornalismo esportivo

Bruno Vicari conduz o "BB Debate" de casa em ambiente com boa iluminação e decoração, diz especialista - Reprodução
Bruno Vicari conduz o "BB Debate" de casa em ambiente com boa iluminação e decoração, diz especialista Imagem: Reprodução

Gabriel Carneiro

Do UOL, em São Paulo

23/04/2020 04h00

Aposto que você clicou na manchete já procurando o espaço de comentários para dizer como o tema é fútil e como estamos sem assunto em meio à quarentena. Ok, nem tudo é mentira. Mas, de acordo com especialistas em arquitetura e decoração, é um tópico que merece valor nestes tempos de isolamento e confinamento, em que boa parte do noticiário (inclusive o esportivo) é gerada direto da casa dos jornalistas.

Este é um conceito chamado "comunicação visual". Em quarentena por causa da pandemia do novo coronavírus, o público passa muito mais tempo em frente aos equipamentos eletrônicos. Assim, a poluição visual e o excesso de informação no vídeo podem causar desconforto e influenciar na decisão de assistir ou não a um programa de TV. Paralelamente, a cenografia quando bem pensada desperta curiosidade.

Atenção à comunicação visual não deve ser um privilégio dos jornalistas. Autônomos também têm usado a tecnologia a seu favor, como profissionais de educação física, por exemplo. As dicas servem para produtores de conteúdo on-line, uso caseiro em transmissões ao vivo e diversas outras carreiras afetadas pela pandemia, como conta Priscila Marise, arquiteta do escritório Ana Lucia Siciliano Arquitetura & Design: "Agora, mais do que nunca, as pessoas querem se aproximar umas das outras virtualmente."

Marcelo Barreto - Reprodução - Reprodução
Marcelo Barreto de casa à frente do Redação SporTV: biblioteca discreta e quadros no fundo
Imagem: Reprodução

"Acho interessante que o fundo apresente um pouco da casa, estilo e personalidade dos profissionais. Isso mostra o lado humano de todo mundo, evidencia que estamos todos em casa e traz empatia com uma figura sempre colocada distante", completa a especialista.

Na TV esportiva, a maioria dos programas em canais fechados acontece no formato news home, cada comentarista em sua casa. É assim no "Expediente Futebol", do Fox Sports, no "Redação SporTV", no "BB Debate", da ESPN Brasil, e em partes nos programas do Bandsports. Só para citar alguns. Os jornalistas, que têm ficado em casa seguindo orientações das autoridades públicas de saúde, acertam e erram na decoração dos ambientes que mostram para todo o Brasil.

Display - Reprodução - Reprodução
Imagem: Reprodução

A solução mais fácil para a maioria é aparecer na frente de uma parede cheia de livros. Milton Neves, blogueiro do UOL Esporte, até ironizou a escolha dos colegas: "Por que todo jornalista e todo entrevistado na TV, estando em casa em quarentena, posta-se diante de sua grande, média ou pequena biblioteca? É a força do diploma de intelectual?" Também virou meme um display de papelão que simula uma livraria para "atores, jornalistas e comediantes".

E você, já viu algo que chamou atenção? Mande nos comentários. Ajudará a diminuir o fluxo de ofensas.

Nem fundo branco, nem cachecóis

"Não optem por fundos brancos ou totalmente lisos, eles trazem uma frieza que não precisamos nesse momento. Se tiver uma estante, uma parede de quadros, um objeto afetivo ou até plantinhas, aposte neles", recomenda Priscila. Porém, o contrário também é preocupante segundo a arquiteta: "É bom ter cuidado com os excessos, muita informação não agrega e pode até trazer um desconforto visual para quem assiste".

O fundo branco dos frames de Glaucia Santiago e Fernando Nardini e as bufandas e cachecóis de Gustavo Hofman e Mauro Cezar Pereira são alguns exemplos de frieza e excesso. O caso de Alex Tseng é diferente: "Tem bastante informação, mas não incomoda tanto."

Sportscenter remoto - Reprodução - Reprodução
Imagem: Reprodução
Futebol no mundo remoto - Reprodução - Reprodução
Imagem: Reprodução

Boa iluminação e objetos que conectam

"O ideal seria uma boa incidência de luz natural. Mas sabemos que muitos ambientes privados não têm entrada e muitas vezes as gravações são noturnas. Por isso, apostar em locais que tenham melhor iluminação artificial ou inserir alguma luminária próxima acaba sendo interessante", indica a especialista. Um bom exemplo é o de Antony Curti, da ESPN. Outro não tão bom é o de Zé Elias, mais escuro.

ESPN League remoto - Reprodução - Reprodução
Imagem: Reprodução
Futebol na veia remoto - Reprodução - Reprodução
Imagem: Reprodução

Bruno Vicari também chama atenção pela boa iluminação do ambiente. E ainda há outro ponto favorável: a decoração. "As prateleiras possuem alguns objetos interessantes que contam um pouco de como ele é, do que gosta ou já fez. Assim como Marilia Ruiz e Gian Oddi, com o acréscimo de alguns itens familiares."

Marília Ruiz - Reprodução - Reprodução
Imagem: Reprodução

Luciano Amaral, da ESPN, e Flavio Gomes, do Fox Sports, "escolheram uma parede que mostra muitos gostos e escolhas pessoais e de lembrança afetiva", casos do quadro com o personagem Pedro, da série "Castelo Rá-Tim-Bum", estrelada por Amaral, e itens de automobilismo, paixão de Gomes: "Os ambientes nos aguçam a querer ver mais desses quadros e saber se encontramos outras semelhanças e afinidades."

Luciano Amaral - Reprodução - Reprodução
Imagem: Reprodução

Conforto em nome do desempenho

"O melhor seria escolher uma cadeira ou sofá que nos sintamos à vontade sem relaxarmos demais. Prefiro assentos com encosto, pois conseguimos controlar melhor a postura e nos mantemos atentos", relata Priscila Marise, que vê alguns dos ambientes dos jornalistas esportivos como cases deste tópico.

Expediente Futebol remoto - Reprodução - Reprodução
Imagem: Reprodução
Fox Sports rádio remoto - Reprodução - Reprodução
Imagem: Reprodução

"Locais como os de Marcelo Barreto, Fabio Sormani, Mauro Naves e José Ilan contam bastante do estilo e personalidade de cada um e parecem ser ambientes confortáveis e adequados para uma entrevista, mesmo não sendo especificamente destinados a um escritório ou posto de trabalho." Não é o caso do ambiente de PVC, mal enquadrado, e Diego Bertozzi, que está de pé, por exemplo.

Esta escolha, aliás, faz parte de outra observação da arquiteta: "Cozinhas, lavanderias e banheiros geralmente possuem pisos e revestimentos frios e fazem com que o som rebata com mais facilidade. Locais com tapetes e objetos de madeira contribuem para a diminuição do eco."

Diego Bertozzi, da Fox Sports - Reprodução - Reprodução
Imagem: Reprodução
PVC, do SporTV - Reprodução - Reprodução
Imagem: Reprodução

Luzes, cores, materiais, tons, texturas, ambientes... você nunca mais verá um programa de televisão com os mesmos olhos. Vai saber se a biblioteca do seu jornalista preferido é de papelão, né?

Futebol