PUBLICIDADE
Topo

Futebol

"Brasileirão no exterior não pode ser tapa-buraco de madrugada", diz Mauro

Do UOL, em São Paulo

17/04/2020 04h00

A notícia de que os direitos de transmissão do Brasileirão estariam sendo negociados por US$ 40 milhões (R$ 210 milhões) impressionou pelo baixo valor oferecido. Para Mauro Cezar Pereira, blogueiro do UOL Esporte, no entanto, mais importante que a quantia seria a oportunidade de expandir o mercado das equipes mundo afora (veja a partir de 3min37s do vídeo acima).

"Importante é a visibilidade. Os times do Brasil raramente são conhecidos lá fora, em qualquer loja de material esportivo é muito difícil de achar algo de time brasileiro, porque os times brasileiros são desconhecidos na Europa, porque não jogam lá, não tem jogos na TV. Então, a possibilidade de o Brasileirão ser visto na Europa e outros continentes é mais importante até do que os valores da negociação.

Seguindo essa linha, prossegue Mauro, seria importante os clubes se certificarem que o torneio não será vendido para passar na madrugada. Uma espécie de tapa-buraco de programação de TV estrangeira.

"Mas vão vender em troca de um trocado ou pensando na visibilidade dos times? É importante que coloquem na grade de programação, não para tapar buraco na TV. Já que os times brasileiros não jogam lá fora, que a TV os levem para Europa, Ásia e África. E o ponto importante é quantos jogos ao vivo passa, para que o Brasileirão não possa ser tapa-buraco em madrugadas."

"A grana pode não ser muita, mas a visibilidade é oportunidade pros brasileiros serem minimamente conhecidos lá fora", completa.

Futebol