PUBLICIDADE
Topo

Ex-capitão do sub-20 do Santos ganha espaço na zaga após saída de Aguilar

Wagner Leonardo comemora gol pelo sub-20 do Santos - Pedro Ernesto Guerra Azevedo/Santos FC
Wagner Leonardo comemora gol pelo sub-20 do Santos Imagem: Pedro Ernesto Guerra Azevedo/Santos FC

Eder Traskini

Colaboração para o UOL, em Santos

10/04/2020 04h00

O zagueiro Wagner Leonardo foi um dos poucos Meninos da Vila que fez sua estreia profissional no Santos sob comando do técnico Jorge Sampaoli. Foram apenas 18 minutos, mas suficientes para iniciar uma caminhada na equipe de cima que o coloca agora como um dos reservas imediatos da dupla de zaga titular.

Com a saída do colombiano Felipe Aguilar, negociado com o Athletico-PR, o jovem de 20 anos se tornou a quarta opção do técnico Jesualdo Ferreira para a defesa, atrás dos titulares Luan Peres e Lucas Veríssimo, e do reserva Luiz Felipe. O também jovem zagueiro Alex disputa a posição com Wagner.

A escalada do Menino da Vila pode ser até mais rápida do que ele próprio imagina. Luan Peres, que tem seus direitos econômicos ligados junto ao belga Brugge, está emprestado ao Peixe somente até o fim do ano e tem preço de compra fixado considerado alto, enquanto Lucas Veríssimo é frequentemente alvo do futebol europeu. Wagner quer estar preparado.

"Eu acredito que as coisas acontecem no tempo de Deus. Tudo tem seu momento e a hora certa. A oportunidade virá, então, mato um leão por dia para estar o mais preparado possível para que eu possa corresponder à altura e dar muita alegria ao Santos, que o foi o clube que me formou", disse o zagueiro em entrevista exclusiva ao UOL Esporte.

Wagner Leonardo pode preencher duas ou até três lacunas no elenco do Santos. Além de zagueiro, o jovem atuou inúmeras vezes como volante no sub-20 e chegou a fazer uma espécie de lateral esquerdo ainda nas categorias inferiores. Hoje o Peixe sofre com a lesão de Alison, tendo apenas Jobson como opção à frente dos zagueiros, enquanto Felipe Jonatan é a única opção para a lateral.

"Nas categorias sub-13 e sub-15 atuei algumas vezes de lateral esquerdo, como se fosse um terceiro zagueiro, muito usado na Europa. Antes de subir para o profissional, estava atuando bastante como volante, no sub-20. Atualmente, nos treinamentos, o professor Jesualdo tem me colocado como lateral esquerdo para suprir a necessidade. São duas funções que sei fazer, mas claro a função que mais me identifico, sem sombra de dúvidas, é de zagueiro", afirmou Wagner.

O zagueiro chegou ao Peixe com 10 anos e como meia. Foi Emerson Ballio, ex-técnico das categorias de base do clube, que se utilizou de conhecimento prévio das características de Wagner para recuá-lo para a defesa.

"Cheguei ao Santos através do Flávio Antunes, ex-jogador do Santos. Desde o sub-7 eu jogava na escolinha que existe até hoje, chamada 'O Grande Lance'. Ele me levou para o Santos em 2009, quando tinha apenas 10 anos. Cheguei como meia, porém não tinha zagueiro e o treinador, Emerson Ballio, perguntou se eu queria jogar de zagueiro. Ballio me conhecia desde os 6 anos, quando foi meu professor de futebol no colégio. Aceitei a sugestão e fiquei de zagueiro", contou.

Mesmo recuado para a função defensiva, Wagner Leonardo não perdeu a "classe" de um meia, como demonstrou ao marcar dez gols nos últimos dois anos pela base santista, dois deles cobrando pênalti com categoria, como mostra o vídeo abaixo.

Santos