PUBLICIDADE
Topo

Por 'exigência', Alex vê Cruzeiro de 2003 superior a Palmeiras de 99

Alex, do Cruzeiro, comemora gol marcado contra o Fluminense no Brasileiro de 2003, vencido pelo clube mineiro - REUTERS/Bruno Domingos
Alex, do Cruzeiro, comemora gol marcado contra o Fluminense no Brasileiro de 2003, vencido pelo clube mineiro Imagem: REUTERS/Bruno Domingos

Colaboração para o UOL, em São Paulo

09/04/2020 16h19

Ídolo tanto do Cruzeiro quanto do Palmeiras, Alex colocou a Raposa de 2003, campeã da Tríplice Coroa, acima do campeão da Libertadores de 1999. Convidado do Fox Sports Rádio desta quinta-feira, o ex-jogador e comentarista da ESPN, afirmou que, pelo nível de exigência do técnico Vanderlei Luxemburgo, o melhor time que atuou foi o Cruzeiro campeão mineiro, brasileiro e da Copa do Brasil.

"(O time de) 99 era fortíssimo, o time do Zico (Fenerbahce-TUR), que fez quartas de final da Liga dos Campeões, era fortíssimo, mas, se eu tivesse que escolher um time, seria o de 2003", elegeu o ex-meia, que, na sequência, se justificou:

"Era um time que fazia um (gol) e o treinador exigia que buscasse o segundo, o terceiro. Eu lembro de frases do Luxemburgo dizendo o seguinte: Isso aqui é o Cruzeiro de Tostão e Dirceu Lopes, não é para ganhar por acaso, é para ganhar como a história do Cruzeiro exige. Aquilo se identificava com a minha forma de entender e jogar futebol. Se eu tivesse que escolher um time, com certeza seria aquele, pela exigência que o Luxemburgo tinha com a gente, de fazer com que aquele time, além de ganhar jogos, pudesse jogar em cima do que aquele pessoal que tinha vindo antes de nós tinha feito".

Camisa 10 do Palmeiras na conquista da Libertadores, Alex falou sobre o atual momento dos meio-campistas do clube. Apesar de Vanderlei Luxemburgo ter optado, recentemente, por uma formação com quatro atacantes, o ex-jogador acredita que os meias alviverdes terão mais oportunidades.

"Eu acredito que os meias do Palmeiras vão ter a chance de jogar em cima da característica deles porque o Vanderlei gosta desse jogador. Se nós olharmos a carreira do Vanderlei, ele sempre se utilizou disso. Aí entra o jogador de futebol, o quanto ele vai querer ser decisivo, o quanto ele vai querer ser participativo, o quanto ele vai usar daquilo que o treinador vai oferecer em cima da qualidade dele. Neste momento, o jogador que tiver oportunidade, tiver a preferência do Vanderlei, vai ter que, em cima da personalidade dele, escolher uma forma de jogar que seja interessante para ele e para o time. Aí sim a gente vai ter a definição se é o esquema do treinador ou se é a qualidade e característica do atleta que, como o ano estava começando e parou, neste momento, a gente não consegue ter essa definição", opinou o comentarista.

Redução de salários

Com o futebol paralisado por conta do coronavírus, Alex também falou sobre a redução de salário dos jogadores durante a pandemia. Defensor do corte salarial, o ex-jogador afirmou que os atletas precisam compreender o atual momento, mas pediu para os clubes honrarem pagamentos atrasados.

"Eu sou a favor do clube, desde que seja negociada a situação a partir do momento que nós assumimos a situação do coronavírus. A gente sabe que, infelizmente, no Brasil, as realidades dos clubes são distintas. Nós vamos pegar clubes que são redondos, que não devem nada aos seus profissionais, e clubes que ainda estão devendo 2019", disse Alex, que completou:

"São situações bem diferentes, mas acredito que o jogador tem que ter a consciência do momento que o mundo está enfrentando. Não é clube dele, o empregador dele, o mundo vai enfrentar uma situação como essa. Dá para sentar, dá para conversar e chegar num acordo que fique bom para todos, óbvio que tendo consciência de que o que está para trás, o clube tem que, de alguma forma, tentar acertar com esses profissionais".

UOL Esporte vê TV