PUBLICIDADE
Topo

Só Edilson? Edmundo fez embaixadinhas contra Corinthians "baleado"; veja

Marcello De Vico

Do UOL, em Santos (SP)

08/04/2020 04h00

Resumo da notícia

  • Edmundo fez embaixadinhas no finzinho da decisão do Paulistão de 1993
  • Palmeiras vencia Corinthians por 4 a 0 e jogo estava no 2ºT da prorrogação
  • José Aparecido de Oliveira não vê atitude de Edmundo como provocação
  • "Eu entendi mais como um controle de bola", opina o ex-árbitro

Quem não se recorda das polêmicas embaixadinhas feitas por Edilson durante a final do Campeonato Paulista de 1999 entre Corinthians e Palmeiras? O clube alviverde, recém-campeão da Libertadores, perdia o título estadual para o arquirrival e não se conteve com a provocação feita pelo atacante corintiano, dando assim, início a uma batalha campal no estádio do Morumbi.

Dias antes, o Palmeiras havia conquistado a Copa Libertadores, o que fez os jogadores alviverdes devolverem a provocação mostrando a faixa do título sul-americano e dizendo frases como 'fica com o Paulistinha' — que saíram da boca do irreverente Paulo Nunes.

O que pouca gente se recorda é que, seis anos antes, em uma mesma decisão de Paulistão entre as equipes, no mesmo Morumbi, houve um lance bem semelhante ao de Edílson. As diferenças são duas: o provocador, neste caso, era do Palmeiras (Edmundo), e a provocação do Animal não resultou em briga. Curiosamente, Edílson mais uma vez estava presente, mas do lado alviverde.

Por 'sorte', o jogo já caminhava para o final quando Edmundo fez as embaixadinhas e foi encerrado, segundos depois, pelo árbitro José Aparecido de Oliveira, não dando assim muito tempo e espaço para que os corintianos reagissem à provocação do atacante palmeirense.

Arquivo pessoal
Imagem: Arquivo pessoal

Procurado pelo UOL Esporte, José Aparecido diz lembrar do lance, mas alega ter encarado a atitude de Edmundo mais como um controle de bola, e não uma provocação.

"Foi um jogo muito tumultuado, muito tenso. A partida já estava praticamente decidida, faltando nem um minuto... Mas eu não entendi o controle de bola dele como embaixadinha. Embaixadinha que eu entendo, de provocação, é o cara pegar, pôr no joelho, como o Edilson fez, põe na cabeça, nas costas... Eu entendi como um controle de bola. Pegou a bola, ficou controlando... E acho que, por um jogo dessa envergadura, serem cinco, seis, dez (embaixadinhas), não dá para entender como provocação", disse o ex-árbitro ao UOL Esporte.

O placar apontava 4 a 0 para o Palmeiras, e já estava nos minutos finais do segundo tempo da prorrogação. O time alviverde devolvia, com juros, a derrota por 1 a 0 do jogo de ida, com direito a gol de Viola e imitação de um porco na comemoração. O título acabou com um jejum de 17 anos do Palmeiras.

Acelerando uma ideia que já existia há algum tempo por causa da decisão da Globo de reexibir a final da Copa de 2002 no domingo de Páscoa (12), a Band vai estrear no próximo fim de semana uma faixa de reprises com jogos clássicos de seu rico arquivo esportivo. E a estreia contará, justamente, com a histórica vitória palmeirense por 4 a 0 sobre o maior rival. A transmissão acontece no próximo domingo, a partir das 14h.

Futebol