PUBLICIDADE
Topo

"Posso ser o zagueiro que Sampaoli busca", diz jovem do Atlético-MG

Gustavo Henrique, zagueiro do Atlético-MG, crê que pode integrar o time comandado por Jorge sampaoli - Bruno Cantini/Divulgação/Atlético-MG
Gustavo Henrique, zagueiro do Atlético-MG, crê que pode integrar o time comandado por Jorge sampaoli Imagem: Bruno Cantini/Divulgação/Atlético-MG

Thiago Fernandes

Do UOL, em Belo Horizonte

08/04/2020 04h00

Jorge Sampaoli pediu a contratação de um zagueiro ao presidente do Atlético-MG, Sérgio Sette Câmara, após a saída de Iago Maidana por empréstimo. Porém, há um zagueiro recém-promovido das categorias de base que acredita em seu potencial de suprir a exigência do treinador. Gustavo Henrique, de 20 anos, crê que tem condições de atuar entre os profissionais do elenco comandado pelo argentino.

Em entrevista exclusiva ao UOL Esporte, o garoto aponta as suas características de jogo como pontos cruciais para agradar ao técnico: "Na minha opinião, acho que sim [posso ser o zagueiro que Sampaoli pediu ao presidente], porque eu tento sempre aprender no dia a dia. Sou muito focado. Umas das minhas características são saída de bola e bola aérea. Mas é natural um clube da grandeza do Atlético procurar um zagueiro à altura. Vou procurar fazer a minha parte, manter a cabeça no lugar e deixá-lo resolver essa questão".

"Tanto eu quanto o outro zagueiro da base, o Léo Griggio, vamos manter a cabeça no lugar. Não vejo necessidade de contratar outro zagueiro, porque estou à disposição. É esperar para ver o que tem a nos proporcionar. É manter a cabeça no lugar, fazer a minha parte e deixar que o professor faça a melhor escolha possível. Se o Atlético for atrás desse zagueiro, ele virá para somar e para complementar o grupo. Pode ser uma experiência a mais para mim, uma briga natural. Vamos esperar para ver o que pode acontecer. Eu preciso fazer a minha parte", acrescentou.

Gustavo Henrique chegou ao Atlético por escolha de Júnior Chávare, diretor das divisões de base, em novembro do ano passado. Contratado para jogar entre os jovens, ele foi deslocado para o time de transição no início de 2020. Entretanto, uma semana após a promoção, foi chamado pelo treinador venezuelano Rafael Dudamel para o elenco principal.

"Foi um pedido do Dudamel para fazer a pré-temporada junto com a equipe. Na terça-feira seguinte à apresentação, me apresentei para fazer a pré-temporada com eles", comentou.

"Ele [Dudamel] sempre me ajudava a me encaixar com o pessoal. Ele falava para eu absorver tudo da melhor maneira possível. Ele me elogiou num todo. Ele deu entrevista e me elogiou. Comigo, ele falava que poderia melhorar, que era para ficar focado nos treinos, que poderia melhorar. Era esse tipo de coisa que ele falava para mim. Era para que eu pudesse compreender a metodologia dele da melhor maneira possível", completou sobre a rápida passagem de Rafael Dudamel pela equipe, que durou apenas dez jogos.

O zagueiro treinou pelo plantel profissional durante toda a passagem do venezuelano pela Cidade do Galo. Mesmo com a mudança no comando técnico — Jorge Sampaoli substituiu Rafael Dudamel —, o jovem permaneceu treinando entre os principais nomes do grupo.

Gustavo Henrique ainda fez uma análise dos trabalhos do novo treinador, mas revela que não conversou com Sampaoli sobre a sua utilização no cotidiano do time.

"A gente não conversou. Ele é um cara que tenta priorizar muito o nosso trabalho. Ele nos corrige naquilo que estamos fazendo. Eu penso que nas correções que ele faz que tenta ajudar. Eu procuro absorver tudo o que ele passa nos treinos. Eu tento absorver para mim as coisas que ele fala com outros jogadores. A gente nunca conversou particularmente, ainda não tivemos uma conversa sobre ele me manter no time profissional. Eu tento manter a minha cabeça no lugar, ter regularidade nos treinamentos. Tem jogadores competentes na minha posição. Então, tem que esperar para ver o que o futuro vai nos proporcionar", concluiu.

Atlético-MG