PUBLICIDADE
Topo

Léo aprova volta de Robinho, o compara a Neymar e defende Jesualdo

Léo, ex-lateral do Santos, no Fox Sports Rádio - Reprodução/Fox Sports
Léo, ex-lateral do Santos, no Fox Sports Rádio Imagem: Reprodução/Fox Sports

Colaboração para o UOL, em São Paulo

07/04/2020 16h08

Ídolo do Santos e campeão da Libertadores de 2011, o ex-lateral Léo aprovou o possível retorno de Robinho ao Peixe. Presente no Fox Sports Rádio desta terça-feira, o tricampeão paulista afirmou que, se fosse presidente do clube, repatriaria o atacante, atualmente no Basaksehir, da Turquia.

Além disso, convidado a comparar os desempenhos de Neymar e Robinho no Santos, o ex-jogador evitou polêmicas, mas colocou o atacante do Paris Saint-Gemain como um 'Robinho mais evoluído'.

"Para ontem. É uma qualidade muito grande, um jogador totalmente identificado. Tem totais condições de exercer sua profissão. Traria (o Robinho) para ontem", disse Léo, que completou:

"Cada um foi importante no seu momento. Eu sempre falo que o Neymar é um Robinho mais evoluído. É o mesmo jeito. E os dois tiveram o privilégio de jogarem juntos (2010), isso é importante. Os dois foram muito importantes nas passagens deles".

Já sobre o atual momento do Peixe, Léo acredita que o clube precisa ter paciência com o técnico Jesualdo Ferreira, além de virar a página Jorge Sampaoli. Comentando a saída do argentino ao final da temporada passada, o ex-jogador acredita que o clube não pode ser 'refém' do trabalho do atual técnico do Atlético-MG.

"Tem que deixar o Jesualdo trabalhar. É muito pouco tempo, e agora é um recomeço. O torcedor do Santos tem que ter paciência, coisa que não tem. É difícil. Ele está vivendo sob pressão o tempo inteiro, e o Jesualdo é um bom treinador", opinou Léo.

"O que o Santos não pode hoje é ser refém do que ele passou, do que foi na temporada passada. Passou, fez uma temporada boa, mas não conquistou título. A verdade é essa. Você marca com títulos, não com vitórias. Ele não ganhou título nenhum. É até estranho o torcedor do Santos ficar tão apavorado e vivendo daquilo que passou, sendo que não conquistou", completou.

Além disso, convidado a escolher entre Jorge Sampaoli, Jesualdo Ferreira ou Jorge Jesus (Flamengo), o ídolo santista deixou o argentino na última colocação:

"Jesualdo ou Jorge Jesus. Hoje, Jorge Jesus", escolheu Léo.

"Por que não o Sampaoli?", questionou o apresentador Benjamin Back.

"Tem que conquistar. É difícil... O temperamento dele. Sei lá! Não me enche os olhos", respondeu o ex-jogador.

Provocação ao Barcelona e Flamengo de 2019

Lateral do Santos na derrota para o Barcelona, por 4 a 0, na final do Mundial de Clubes de 2011, Léo recordou a provocação feita ao time catalão após a conquista da Libertadores. Na ocasião, o então camisa 3 afirmou que o time iria ao Japão ver se o Barça 'é tudo isso'.

Anos depois, o ex-jogador, sem arrependimentos, admitiu a superioridade blaugrana:

"Disso eu não me arrependo, porque se eu não acreditar no time que eu estou, eu não posso ser atleta profissional de futebol. Eu desafiei, eu fui lá e eu vi que era isso tudo mesmo. Era muito mais do que eu pensava. Não me arrependo de ter falado, porque acreditava no meu potencial, acreditava no potencial do meu time, e nós perdemos para uma equipe que infinitamente foi melhor. Enfrentamos uma equipe que era muito melhor que a gente. Contra fatos não há argumentos", comentou Léo, que seguiu:

"Em nenhum momento (o Barcelona) tirou o pé. Se eles pudessem, eles iam fazer mais. A gente começou a pegar mais duro, porque estava bem complicado.(...) Era muito complicado, porque nas raras vezes que a marcação encaixava, eles jogavam no goleiro, aí desarrumava tudo. Era muita gente no meio, e a gente com três zagueiros. Era muito difícil".

O ídolo santista ainda comparou o Santos de 2011 ao Flamengo de 2019, ambos campeões da Libertadores, e rasgou elogios ao time de Jorge Jesus:

"Ia ser uma briga boa, porque aquele time de 2011 era muito bom. Difícil. É muito parecido. Por ser santista, eu vou falar que (o melhor) é o Santos, mas é difícil. O Flamengo, hoje, tem uma equipe que enche os olhos, joga para frente, muito equilibrada. Acredito que os dois. Não tem uma equipe melhor. O Flamengo enche os olhos, e aquela equipe do Santos encheu também", falou.

UOL Esporte vê TV