PUBLICIDADE
Topo

Flu chegou à paralisação com solidez indicada e fazendo rivais 'patinarem'

Técnico Odair Hellmann, até aqui, tem a confiança da diretoria do Fluminense - Lucas Merçon / Fluminense F.C.
Técnico Odair Hellmann, até aqui, tem a confiança da diretoria do Fluminense Imagem: Lucas Merçon / Fluminense F.C.

Do UOL, no Rio de Janeiro (RJ)

06/04/2020 04h00

O Fluminense chegou à paralisação em um momento que a equipe dava indicações de caminhar para uma consolidação. Mais do que isso, fazendo rivais terem de rever o planejamento para a temporada. Enquanto Botafogo e Vasco patinam, o Tricolor vem demonstrando solidez na parceria com o técnico Odair Hellmann, lidera a classificação geral do Campeonato Carioca e venceu clássicos contra os três rivais do Rio.

Com 24 pontos, dois a mais que o Flamengo — vencedor do primeiro turno —, a equipe das Laranjeiras lidera o ranking geral do Estadual, status que, caso permaneça até o fim da competição, pode dar vaga na final. Segundo o regulamento do Carioca, se um mesmo clube levantar a Taça Guanabara e Taça Rio e um segundo tiver a melhor campanha geral, uma final acontece entre eles.

Aos poucos, apesar dos primeiros passos em 2020, o time das Laranjeiras indica um esboço de escalação que vem dando resultados, com uma defesa menos vazada que na última temporada, Hudson e Yago Felipe no meio e a recuperação de Nenê, destaque neste começo de temporada.

Além disso, na "disputa direta" que teve até aqui com os rivais, levou a melhor em três das quatro oportunidades. Em duas, inclusive, causou demissão de treinador. Após bater o Botafogo na Taça Guanabara, Alberto Valentim foi demitido do Alvinegro. Já depois do triunfo sobre o Vasco, na Taça Rio, último jogo antes da suspensão das atividades, Abel Braga acabou se despedindo de São Januário.

Contra o Flamengo, o retrospecto está empatado, com uma vitória para cada lado. O Tricolor venceu na fase de grupo da Taça Guanabara, enquanto o rubro-negro ganhou na semifinal.

Há ainda o seguinte ponto: Odair Hellmann, ao que tudo indica, tem a confiança da diretoria, apesar da eliminação precoce na Sul-Americana e da derrota para o Figueirense no primeiro encontro pela terceira fase da Copa do Brasil.

"Não existe a menor hipótese de Odair sair. Mesmo que a gente não passe dessa fase da Copa do Brasil, ele segue como treinador do Fluminense. Montamos um elenco no início de janeiro e um mês depois já estávamos em uma competição internacional. Escolher um culpado, não vou fazer. Não é meu estilo de trabalhar. Os resultados não são o que gostaríamos, mas são os resultados que estão acontecendo em razão de uma série de questões. Contra o Figueirense, fizemos um jogo ruim. Ele não está pressionado e nunca esteve, não existe hipótese dele ser demitido, independentemente do resultado", disse o presidente Mário Bittencourt, no último dia 13, três dias antes da paralisação ser definida em reunião entre clubes e Federação do Rio.

Fluminense