PUBLICIDADE
Topo

Santos faturou mais de meio bilhão com vendas de Meninos da Vila no século

Rodrygo comemora gol do Real Madrid contra o Galatasaray - PIERRE-PHILIPPE MARCOU / AFP
Rodrygo comemora gol do Real Madrid contra o Galatasaray Imagem: PIERRE-PHILIPPE MARCOU / AFP

Eder Traskini

Colaboração para o UOL, em Santos

05/04/2020 04h00

Conhecido por ser um dos clubes que mais revelam no Brasil, o Santos utilizou 127 garotos no profissional durante este século. O UOL Esporte levantou quantos desses Meninos da Vila renderam ao clube financeiramente e o montante total encontrado foi alto: mais de meio bilhão de reais.

O Peixe negociou pelo menos 20 desses 127 garotos por valores relevantes (veja lista completa abaixo). A soma de todas as vendas do século ultrapassou os R$ 531 milhões, levando em conta apenas os valores os quais o Santos teve direito em cada negócio.

A venda recorde do clube, e das Américas — como diz o presidente José Carlos Peres —, foi o atacante Rodrygo. O jogador foi negociado com o Real Madrid em 2018 por R$ 193 milhões, dos quais R$ 172 milhões entraram nos cofres do Peixe.

Depois do "raio" na lista de valores totais vem o centroavante Gabigol, hoje no Flamengo. Ele foi vendido à Inter de Milão (ITA) por R$ 100 milhões, dos quais o Santos ficou com R$ 65 milhões mesmo tendo menos de 65% dos direitos econômicos. Explica-se: o Peixe bateu o pé para receber o valor acordado no contrato do jogador como multa rescisória, o que fez os outros lados da negociação cederem.

Estratégias parecidas foram adotadas nas transferências de Robinho ao Real Madrid, que rendeu cerca de R$ 71 milhões ao alvinegro, e Neymar — que até hoje é discutida judicialmente e rendeu parte do monte ao Peixe como "preferência de compra" de atletas da base — ao Barcelona.

Outros negócios importantes feitos no período foram as vendas de Thiago Maia ao Lille (FRA) por R$ 51 milhões, Geuvânio ao Tianjin (CHN) por R$ 48 milhões e Diego ao Porto (POR) por R$ 30 milhões. Nos três negócios o Peixe ficou com parte do valor por não ter a totalidade dos direitos econômicos dos atletas.

Confira os Meninos da Vila negociados pelo Santos no século:

Alan Patrick (ao Shakhtar): R$ 13,8 milhões (R$ 6,9 milhões ao Santos)
Adriano Pagode (ao Grêmio): R$ 800 mil
André (ao Dínamo de Kiev): R$ 17,7 milhões (R$ 8,8 milhões ao Santos)
Caju (ao Braga): R$ 1,4 milhão
Diego (ao Porto): R$ 30 milhões (R$ 15 milhões ao Santos)
Emerson Palmieri (à Roma): R$ 7,5 milhões
Felipe Anderson (à Lazio): R$ 23 milhões (R$ 11,5 milhões ao Santos)
Gabigol (à Inter): R$ 100 milhões (R$ 65 milhões ao Santos*)
Geuvânio (ao Tianjin): R$ 48 milhões (R$ 33 milhões ao Santos)
Leonardo (ao Shakhtar): R$ 4,2 milhões
Neymar (ao Barcelona): R$ 72 milhões** (R$ 50 milhões ao Santos)
Ganso (ao São Paulo): R$ 24 milhões*
Paulo Ricardo (ao Sion-SUI): R$ 1,8 milhão
Rafael Cabral (ao Napoli): R$ 16 milhões (R$ 11 milhões ao Santos)
Robinho (ao Real Madrid): R$ 71 milhões*
Rodrygo (ao Real Madrid): R$ 193 milhões (R$ 172 milhões ao Santos*)
Serginho (ao Kashima): R$ 7,7 milhões
Thiago Maia (ao Lille): R$ 51 milhões (R$ 31 milhões ao Santos)
Thiago Carleto (ao Valência): R$ 500 mil
Wesley (ao Werder Bremen): R$ 22,5 milhões (R$ 8 milhões ao Santos)

* valor recebido pelo Santos foi acima da porcentagem que tinha do jogador em relação ao total pago. Peixe conseguiu receber o montante que lhe cabia caso fosse paga a multa rescisória do jogador, ainda que a oferta não tenha atingido o valor cheio da multa.
** valor somado com "preferência" por três jogadores da base.

Santos