PUBLICIDADE
Topo

Conselho gestor retira candidatura à presidência e define saída do Cruzeiro

Emílio Brandi não é mais candidato à presidência do Cruzeiro, deixando o caminho livre para Sérgio Santos Rodrigues - Bruno Haddad/Cruzeiro/Divulgação
Emílio Brandi não é mais candidato à presidência do Cruzeiro, deixando o caminho livre para Sérgio Santos Rodrigues Imagem: Bruno Haddad/Cruzeiro/Divulgação

Do UOL, em Belo Horizonte

04/04/2020 10h06

O Cruzeiro iniciou ontem (3) uma série de programas com bate-papos e conteúdos exclusivos em seu canal no Youtube. O primeiro deles foi uma entrevista com Saulo Fróes, Emílio Brandi e Gustavo Gatti, que integram o Núcleo Dirigente Transitório do clube. O trio conversou sobre o momento político do clube, que vive cenários de incertezas tanto por causa da pandemia do novo coronavírus quanto pela falta de acordo entre membros da diretoria e conselheiros.

O Conselho Gestor voltou a reforçar que é contra realizar duas eleições em 2020, uma em maio, para um mandato tampão, e a outra em outubro, que valeria para o triênio de 2021-2023. Sendo assim, Emílio Brandi, que atualmente cuida das áreas administrativas e comercial do clube, oficializou que irá retirar sua chapa do pleito, o que evitará uma eleição em maio, caso não haja mais nenhuma candidatura. Deste forma, Sérgio Santos Rodrigues passa a ser o único candidato e será aclamado presidente do clube.

"Nós concordamos em não ter duas eleições. Teria que ser só uma. Para não desgastar o Conselho Deliberativo e o Conselho Gestor. A gente quer facilitar e ajudar. Se tiver uma outra chapa, e parece que já tem, o Conselho Gestor não vai bater chapa. É melhor a gente não disputar. Esse é o nosso pensamento", comentou Brandi.

Com a saída de Brandi, o conselho gestor do Cruzeiro não tem mais um representante na eleição. Os atuais administradores também já adiantaram que irão encerrar suas atividades no dia 31 de maio. A maioria dos seus integrantes também deverá deixar os cargos.

Apesar da possibiliade real de ter apenas um candidato, a eleição, marcada para o dia 21 de maio, ainda corre o risco de não acontecer. Devido à pandemia do coronavírus, o clube ainda irá avaliar a possibilidade de realizar o pleito. Uma votação online chegou a ser sugerida por Sérgio Santos Rodrigues, mas foi descartada por Dalai Rocha, presidente em exercício.

Cruzeiro