PUBLICIDADE
Topo

Ex-goleiro morto aos 66 anos relatou ao UOL luta contra vício: "indigente"

João Marcos, ex-goleiro de Palmeiras e Grêmio - Reprodução/Facebook
João Marcos, ex-goleiro de Palmeiras e Grêmio Imagem: Reprodução/Facebook

Do UOL, em São Paulo

03/04/2020 04h00

Resumo da notícia

  • UOL Esporte recorda depoimento dado por João Marcos em entrevista de 2013
  • Ex-goleiro morreu aos 66 anos em Botucatu, interior de SP, na última quinta
  • No depoimento de 2013, ele relatou a batalha para superar o vício em álcool

O ex-goleiro João Marcos morreu aos 66 anos em Botucatu, interior de São Paulo, na última quinta-feira (2), deixando esposa e três filhos. Com passagens por Palmeiras e Grêmio nos anos 80, incluindo uma partida pela seleção brasileira em 1984, o atleta deu um depoimento forte ao UOL Esporte em 2013, relatando a batalha para superar o vício em álcool.

João Marcos era exemplo de superação para muitos dependentes químicos. O ex-goleiro foi internado no ano 2010 no Recanto Fonte Luz, em Mogi das Cruzes, para iniciar tratamento contra o alcoolismo. Deixou a clínica pouco tempo depois e passou a ajudar com palestras pessoais que buscavam superar este mesmo problema.

A seguir, a reportagem do UOL Esporte seleciona trechos da entrevista de João Marcos concedida há sete anos:

"Depois que eu parei [de jogar], a coisa [alcoolismo] me pegou. Fiquei revoltado por ter parado na hora errada. Você está acostumado com aquilo, da adrenalina, e de repente entra numa vida calma e tranquila. Foi um baque forte. Sentia falta do que fazia. Imagina só chegar numa seleção brasileira e de uma hora para outra ver isso morrer".

João Marcos se aposentou precocemente em 1986 depois de um ouvir de um médico que uma operação não acabaria com as dores em seu ombro esquerdo.

"Ela [ex-mulher] se separou porque eu bebia mesmo. Ela tinha razão. Não dava certo. Eu fazia meu serviço, mas de noite esquecia tudo. Você chega a perder o respeito dos amigos e das pessoas que mais admira. Não digo que é o fundo do poço porque ele não tem fim. Perdi meus filhos e meus amigos. Era praticamente um indigente. Isso arrebenta com a sua própria vida. Acaba perdendo tudo. Começa a ter outro nível de amigos que são dependentes iguais a você e também não fazem nada".

João Marcos chegou a ir quatro vezes para clínicas de reabilitação, sendo que em uma delas recebeu a ajuda do jornalista Milton Neves.

"Comecei a ler a Bíblia, me interessar por essas questões e as coisas foram se encaixando. Nunca tinha me interessado por esses assuntos, por esse lado. Mas foi o que me motivou e mexeu para conseguir sair de vez. A fé que eu tive em Deus e o milagre que ele fez na minha vida foram fantásticos. Não tem explicação. Não conheço ninguém que saia sozinho. E eu saí com ajuda dele".

"Não posso e não bebo nada. Um copo pra mim é muito, a ponto de desestabilizar. É uma coisa que tem que deixar de gostar mesmo. Hoje vou pro bar, restaurante, festa, e a pessoa pode beber do meu lado, e eu não quero".

"Eu uso minha vida e mostrando como eu errei. Todo mundo erra. Meu erro foi forte e hoje dou palestra sobre dependência e para falar de como sair do vício. Tento mostrar os caminhos pra sair. Procuro mais não deixar eles [jovens] entrarem. Pra sair o custo é alto, tanto na parte financeira como na psicológica. Sei como é difícil tirar alguém. Dou palestras em escolas, ONGs e nas escolinhas que eu ministro. As crianças são o futuro. Pego em cima na questão do álcool e das drogas".

João Marcos se casou novamente, voltou a ter uma boa relação com os filhos e passou a se dedicar a projetos sociais

"Isso pra mim hoje é uma felicidade. Perdi os filhos, amigos. E hoje vejo os filhos todos comigo. Aqueles que gostavam de mim voltaram. Vi quem era meu amigo e me sinto feliz por toda essa volta por cima".

Carreira

João Marcos começou a carreira no Guarani. Jogou também no São Bento de Sorocaba-SP e no Noroeste de Bauru-SP, antes de se transferir para o Palmeiras, em 1980. Permaneceu no alviverde até 85 e encerrou a carreira no Grêmio, em 1986.

O ex-goleiro viveu grande fase em 1984, quando chegou a ser convocado à seleção brasileira. Disputou apenas um jogo, no dia 21 de junho, na vitória do Brasil sobre o Uruguai por 1 a 0.

Futebol