PUBLICIDADE
Topo

Arnaldo: "Movimento é para que o Paulista-2021 tenha não 16, mas 18 clubes"

Do UOL, em São Paulo

03/04/2020 12h00

Classificação e Jogos

O Campeonato Paulista parou faltando duas rodadas para a definição dos quadrifinalistas e dos rebaixados para a segunda divisão, e não há previsão de retorno, já que o mundo enfrenta a pandemia do novo coronavírus. Sem jogadores com contrato para o retorno da competição semanas ou meses após o previsto, clubes pequenos cogitam dar como encerrado o torneio, com o Santo André campeão, mas sem rebaixamento.

No podcast Posse de Bola #26, Arnaldo Ribeiro revela o plano dos clubes pequenos e aponta que os dirigentes sugerem aumentar o número de participantes para 2021, mantendo os 16 atuais se juntando a dois promovidos da Série A-2.

"Já existe um estudo dos pequenos, digamos uma ideia conjunta que é o seguinte: dentro daquela coisa, não deve haver rebaixamento porque 'seria sacanagem faltando seis pontos em disputa', porém, isso no raciocínio dos clubes pequenos, 'seria sacanagem' também não ter acesso porque todo mundo estava jogando por duas vagas na principal divisão em São Paulo no ano que vem", diz Arnaldo (disponível no vídeo acima a partir de 1:02:39).

"Então, o movimento é para que o Paulista tenha não 16, mas 18 clubes na próxima edição. O Juca já viu isso tantas vezes, e eles têm até uma 'formulazinha' que dá para comportar no atual espaço do calendário. Com 18 clubes, você faz três grupos de seis, dá 18. O Corinthians não seria cabeça de chave porque o Corinthians foi muito mal nesse Paulista, seriam São Paulo, Santos e Palmeiras. O Corinthians se encaixaria num desses grupos aí, e seis grupos de três. Você jogando com o outro grupo, não jogando no seu grupo, daria mas mesmas 12 datas na fase de classificação. Você jogaria também 12 rodadas com 18 clubes, as mesas 12 rodadas que você jogaria com 16 clubes, você engordaria o Paulistão", completa o jornalista.

Mauro Cezar Pereira até aceita o aumento no número de clubes, mas sugere uma outra fórmula para a competição, com menos jogos para os clubes grandes.

"Dá para emagrecer o Paulistão, não é? Você faz só cada um jogar dentro da sua chave, só turno, nada de ida e volta, só ida, vai e não volta mais. Cinco jogos, e aí você classifica os três ali e faz um triangular, como era antigamente no Rio. E que era bem legal até o triangular final. Os três que se classificam vão lá, vão para o pau", afirma o jornalista (no vídeo a partir de 1:04:11).

"Olha que beleza, cinco joguinhos, depois um triangular. Oito datas! Uma coisa linda, oito datas dá para matar essa bagaça em um mês e meio. Joguinho de quarta-feira ali e tal, acaba com esse troço de uma vez por todas, começaria ali em janeiro e já terminaria, depois você pega essa galera de time pequeno e bota para jogar o ano inteiro. Vaga em Copa do Brasil, vaga em não sei o que, premiação em dinheiro. Para isso que os caras têm grana, a federação, a CBF, seria o lógico, é o lógico, é o óbvio. E reduziria drasticamente o tamanho do Estadual, aliás, está mais do que na hora, se nem com essa parada forçada os caras fizerem alguma mudança para melhorar esse calendário bizarro, quando vai acontecer, gente?", finaliza Mauro.

Posse de Bola: Quando e onde ouvir?

A gravação do Posse de Bola está marcada para segundas-feiras às 9h, sempre com transmissão ao vivo pela home do UOL ou nos perfis do UOL Esporte nas redes sociais (YouTube, Facebook e Twitter). A partir de meio-dia, o Posse de Bola estará disponível nos principais agregadores de podcasts.

Você pode ouvir o Posse de Bola em seu tocador favorito, quando quiser e na hora que quiser. O Posse de Bola está disponível no Spotify e na Apple Podcasts, no Google Podcasts e no Castbox . Basta buscar o nome do programa e dar play no episódio desejado. No caso do Posse de Bola, é possível ainda ouvir via página oficial do UOL e YouTube do UOL. Outros podcasts do UOL estão disponíveis em uol.com.br/podcasts.

Futebol