PUBLICIDADE
Topo

Após demissão em massa, Allianz reduz jornada e salários de funcionários

Allianz Parque, o estádio do Palmeiras, passa por uma crise financeira diante da crise do coronavírus - Divulgação/Allianz Parque
Allianz Parque, o estádio do Palmeiras, passa por uma crise financeira diante da crise do coronavírus Imagem: Divulgação/Allianz Parque

Diego Salgado

Do UOL, em São Paulo

03/04/2020 04h00

A demissão de 15% dos funcionários do Allianz Parque não foi a única medida da WTorre diante da crise do coronavírus. A empresa que administra o estádio do Palmeiras decidiu reduzir a jornada de trabalho dos que ficaram.

De acordo com apuração do UOL Esporte, a redução salarial, dessa foram, atingirá 25% dos vencimentos. Outra medida tomada pela WTorre diz respeito às pessoas demitidas. A rescisão de contrato será parcelada em até 12 vezes.

O quadro de funcionários da arena palmeirense tinha 65 integrantes. O número de demitidos é de até dez pessoas, o que corresponde a 15% do total. A decisão está ligada à falta de eventos no local.

Segundo Márcio Flores, diretor de marketing, a medida é emergencial e a empresa passou a sofrer o impacto do adiamento dos eventos previstos para as próximas semanas.

"Fizemos muitas contas. Tudo o que a gente não gostaria de fazer neste momento era demitir funcionário, corta na própria carne. Todo mundo que está lá dentro a gente gosta muito. São pessoas competentes e estavam fazendo a empresa voar", disse o diretor de marketing.

"Os eventos não foram cancelados, foram adiados. A esperança é que no segundo semestre as coisas voltem. Foi um modo emergência para conseguir sobreviver diante dessa tempestade e voltar com tudo depois", completou.

Palmeiras