PUBLICIDADE
Topo

Palmeiras faz contas e tenta pagar salário integral ao time durante crise

Maurício Galiotte, presidente do Palmeiras - Cesar Greco/Ag. Palmeiras
Maurício Galiotte, presidente do Palmeiras Imagem: Cesar Greco/Ag. Palmeiras

Diego Salgado, Eder Traskini e José Eduardo Martins

Do UOL, em São Paulo

02/04/2020 04h00

Por causa da pandemia do coronavírus e do consequente adiamento das competições, o Palmeiras concedeu para os seus jogadores 20 dias de férias neste mês de abril. Ao contrário de boa parte dos clubes, porém, o Alviverde ainda não fez uma proposta de redução salarial para os atletas. Os dirigentes têm trabalhado para tentar minimizar os prejuízos e até, quem sabe, honrar com todos os seus débitos de maneira integral.

Nos últimos dias, reuniões têm sido realizadas para discutir a melhor maneira de conduzir a situação. O Palmeiras ainda espera para analisar melhor a dimensão da crise financeira devido à pausa dos torneios. Ainda não é possível ter uma noção de qual será o impacto da falta de receita oriunda da renda dos jogos, por exemplo.

O principal patrocinador do clube, a Crefisa, foi procurado pela reportagem para falar sobre o assunto, mas preferiu não se pronunciar sobre o caso neste momento. Segundo apurou o UOL Esporte, até o momento, porém, não há qualquer sinalização de redução desta verba.

A orientação é para que nenhum dirigente se pronuncie sobre o caso nestes próximos dias. A ideia é só fazer qualquer anúncio quando o clube tiver uma decisão consolidada. Vale também destacar que o Palmeiras é um dos poucos clubes que tinha seus salários em dia e uma boa fonte de receita.

Palmeiras