PUBLICIDADE
Topo

Arnaldo: "Não adianta dar murro na porta em um clube como o Corinthians"

Do UOL, em São Paulo

02/04/2020 12h00

O técnico Tiago Nunes chegou ao Corinthians com um histórico recente de títulos conquistados no comando do Athletico-PR, mas também apresentando como característica a personalidade forte. E no momento em que passou a não entregar os resultados desejados, parte de seu comportamento acaba jogando contra.

No podcast Posse de Bola #26, Arnaldo Ribeiro faz uma comparação no caso e Nunes com Fernando Diniz, que foi blindado pela diretoria do São Paulo e se adaptou ao clube com elogios a diferentes setores, enquanto Nunes fez reclamações e deu declarações que desagradaram.

"O Tiago Nunes entrou no Corinthians como se não precisasse passar por nenhuma liturgia. 'Ah, eu sou o Tiago Nunes'. Não, aqui é o Corinthians. E se ele não pedir amém e falar um monte de coisa para gente importante do Corinthians, não vai ter respaldo nenhum. Essa é a diferença entre você trabalhar num clube que não tem grande repercussão, até porque o Athletico-PR blindava muito e não deixava as pessoas expostas, do que você trabalhar num clube gigante como é o Corinthians", afirma Arnaldo.

O jornalista cita entre os episódios complicados para Tiago a forma como ocorreu a dispensa de Jadson e Ralf, nomes importantes do clube, que não se encaixavam na forma que o treinador entende como time ideal.

"Se você não cumprir certos rituais, não adianta você ser bom. Você tem que cumprir certos rituais. Não adianta chegar, dar um bico na porta e achar que 'eu falo bonito'. Então, aí você pode elencar os momentos em que o Tiago não cumpriu rituais básicos. Não estou nem falando daquela coisa de não assumir o clube imediatamente lá no ano passado, que acho que foi um consenso entre ele e a diretoria. Mas a questão do Ralf, que foi a boa vinda, e as outras coisas: críticas ao centro de treinamento, ao departamento de estatísticas...", analisa Arnaldo.

"Essas coisinhas internas têm um valor, têm um peso monstruoso no dia a dia de um clube de futebol, um clube grande. A gente não tem ideia ainda de quando a bola vai voltar a rolar, agora, nesse período, o Tiago deveria fazer uma reflexão e tentar, seja dando entrevista para a gente, a próxima, que está encalacrada, ser mais político, porque faz parte. Fazer política é da essência. Não adianta querer dar murro na porta de clube grande como o Corinthians. Se for assim, ele vai perder a batalha e isso já está claro", completa.

Posse de Bola: Quando e onde ouvir?

A gravação do Posse de Bola está marcada para segundas-feiras às 9h, sempre com transmissão ao vivo pela home do UOL ou nos perfis do UOL Esporte nas redes sociais (YouTube, Facebook e Twitter). A partir de meio-dia, o Posse de Bola estará disponível nos principais agregadores de podcasts.

Você pode ouvir o Posse de Bola em seu tocador favorito, quando quiser e na hora que quiser. O Posse de Bola está disponível no Spotify e na Apple Podcasts, no Google Podcasts e no Castbox . Basta buscar o nome do programa e dar play no episódio desejado. No caso do Posse de Bola, é possível ainda ouvir via página oficial do UOL e YouTube do UOL. Outros podcasts do UOL estão disponíveis em uol.com.br/podcasts.

Futebol