PUBLICIDADE
Topo

Fla atinge receita de quase R$ 1 bi e garante estar forte contra Covid-19

Rodolfo Landim, presidente do Flamengo, afirmou que clube está forte para combater tempos de crise - Reprodução Canal Paparazzo Rubro-Negro
Rodolfo Landim, presidente do Flamengo, afirmou que clube está forte para combater tempos de crise Imagem: Reprodução Canal Paparazzo Rubro-Negro

Leo Burlá

Do UOL, no Rio de Janeiro

31/03/2020 09h34

O Flamengo divulgou na manhã de hoje (31) o balanço financeiro referente ao exercício de 2019. No documento, o clube apontou uma receita bruta de R$ 950 milhões, com um superávit de R$ 63 milhões.

Em meio à pandemia da Covid-2019, o presidente Rodolfo Landim, que assina a introdução do documento, afirmou que o Rubro-negro tem "condições financeiras e tecnológicas ímpares na indústria do Futebol mundial para resistir aos impactos econômicos e às restrições impostas".

O Fla destacou o crescimento de 89% nas receitas com operação de jogos, 45% nas receitas de direito de transmissão e premiações, e 357% nas receitas com transferência de atletas.

A auditoria E&Y, responsável pelo parecer técnico, fez apenas uma ressalva no item que trata de gastos com a formação de atletas. A empresa entende que não há evidências que justifiquem alguns números, mas minimizou esta eventual falha contábil.

O incêndio no Ninho do Urubu foi pontuado por Landim, mas as indenizações pagar a algumas famílias não estão especificadas no balanço, embora tenham sido incluídas, ainda que não de forma nominal.

Orçamento antes da pandemia

Em dezembro de 2019, o Rubro-negro aprovou proposta orçamentária que não contemplava os transtornos que seriam causados pela maior crise mundial dos últimos tempos.

Com a incerteza causada pela pandemia, a tendência é que esses números sofram reajustes ao longo do tempo, mas o clube estuda cenários e crê estar sólido para encarar o momento, mesmo que a questão econômica global seja tratada com atenção na Gávea.

Flamengo