PUBLICIDADE
Topo

'Com o que a gente tem no Cruzeiro hoje, difícil subir', diz Edílson

Lateral direito Edilson, em treino do Cruzeiro na Toca da Raposa - Vinnicius Silva/Cruzeiro
Lateral direito Edilson, em treino do Cruzeiro na Toca da Raposa Imagem: Vinnicius Silva/Cruzeiro

Colaboração para o UOL, em São Paulo

30/03/2020 18h48

O lateral-direito Edílson, do Cruzeiro, acredita que a equipe precisa ser reforçada para ter condições de brigar pelo acesso à Série A. Ainda na opinião do jogador, há um excesso de atletas da base no elenco cruzeirense.

"É muito legal ver os meninos da base subindo, tendo chance. Mas quando 15 ou 20 jogadores são da base, fica muito pesado, até mesmo para o treinador. Ainda mais para encarar uma Série B, que é muito difícil. A gente espera que possam vir reforços. A camisa do Cruzeiro é muito pesada, mas com o que a gente tem aqui hoje, fica difícil de subir. Espero que a direção saiba da dificuldade e da responsabilidade que temos de subir para a Série A", declarou em entrevista ao Expediente Futebol, do Fox Sports, hoje (30).

Edílson também falou sobre o rebaixamento do Cruzeiro. O lateral acredita que a crise política que o clube viveu em 2019 foi a grande culpada pelo descenso.

"Desde maio do ano passado, o Cruzeiro só vinha com notícia ruim extracampo. Dentro de campo, nosso time era um dos melhores do Brasil. Tínhamos perdido apenas um jogo e nosso time estava voando. Explicar o rebaixamento é tentar explicar o inexplicável. A gente olhava para o grupo e só tinha jogadores de altíssimo nível. Para mim, a queda tem a ver com a crise política que o clube vveu. Sem dúvida, isso atrapalha muito dentro de campo. A gente sempre tenta filtrar, falar que não nos afeta, mas nos afetou muito no ano passado. A saída do Mano também pesou, era um líder dentro do vestiário", completou.

UOL Esporte vê TV