PUBLICIDADE
Topo

Perrella define lado em pleito do Cruzeiro e avalia gestão: 'modelo falido'

Zezé Perrella foi gestor de futebol do Cruzeiro no fim de 2019 - Bruno Haddad/Cruzeiro
Zezé Perrella foi gestor de futebol do Cruzeiro no fim de 2019 Imagem: Bruno Haddad/Cruzeiro

Thiago Fernandes

Do UOL, em Belo Horizonte

29/03/2020 04h00

Resumo da notícia

  • Ex-presidente do Cruzeiro, Zezé Perrella solta o verbo sobre a atual administração e se posiciona em relação às eleições presidenciais
  • O antigo cartola crê que o modelo adotado no clube é "falido": "São bem intencionados, mas não creio nesse modelo. Precisamos de um presidente"
  • As críticas não são apenas de Zezé Perrella. Demitido recentemente, Adilson Batista também apontou problemas do formato: "todos querem dar palpite"
  • Perrella se posicionou também sobre o pleito no clube: "Emílio Brandi é preparado, mas o Sérgio Rodrigues será um grande presidente"

Ex-presidente do Cruzeiro, Zezé Perrella solta o verbo sobre a atual administração e se posiciona em relação às eleições presidenciais, inicialmente marcadas para o fim de maio.

O antigo cartola crê que o modelo adotado no clube, com um conselho gestor, é "falido". Ele ainda aponta motivos para preferir Sérgio Santos Rodrigues em detrimento de Emílio Brandi no pleito em entrevista ao UOL Esporte na noite de ontem.

"São bem intencionados [os membros do conselho gestor], grandes cruzeirenses, mas não acredito nesse modelo. Apesar de ter colocado um conselho gestor no último mês que fiquei no Cruzeiro, está provado que isso não funciona. Apesar de bem intencionados, o modelo é falido. Não tem nenhum clube no mundo que é gerido por um conselho gestor. Precisamos urgentemente de um presidente", disse o ex-senador mineiro.

O conselho gestor conta atualmente com nove integrantes: Saulo Fróes é o presidente; Carlos Ferreira o responsável pelo futebol e Emílio Brandi chefe das áreas administrativa, comercial e financeira. Alexandre Faria e Anísio Ciscotto são os braços do financeiro, Jarbas Reis cuida da áreas administrativa e social, Kris Brettas é o superintendente jurídico, enquanto Gustavo Gatti responde pelo marketing e e patrimônio. Sandro Gonzalez é o CEO do grupo.

As críticas não são apenas de Zezé Perrella. Demitido após a derrota para o Coimbra, pela primeira fase do Campeonato Mineiro, Adilson Batista também apontou problemas ao formato adotado na diretoria.

"Rezo, o clube está precisando urgentemente de um presidente, porque hoje tem oito gestores e todos querem dar palpite no futebol. Alguns deveriam cuidar do marketing, era para fazer campanha para 300 mil [sócios-torcedores], hoje só estamos com 45. Esse marketing está mal, precisa melhorar", afirmou o técnico no dia de sua demissão.

Zezé Perrella se posicionou também sobre o pleito no clube, marcado para maio. O ex-senador crê que seu aliado Sérgio Santos Rodrigues, apoiado também por Pedro Lourenço e Gilvan de Pinho Tavares, está mais preparado que Emílio Brandi, concorrente apoiado pelo atual conselho gestor.

"O Emílio quer ser presidente por cinco meses, uma coisa surreal. Tenho maior respeito por ele, entendeu? Acho que ele é uma pessoa muito preparada, mas ele não quer ser presidente do Cruzeiro. E acho o Sérgio [Santos Rodrigues] muito mais preparado que ele. O Sérgio está há nove anos dentro do Cruzeiro. O Emílio, com toda a história da família, não tem essa força política dentro do Cruzeiro, com todo respeito que tenho a ele como empresário. Mas o Serginho vai ser um grande presidente, não tenho dúvida", comentou Zezé.

Cruzeiro