PUBLICIDADE
Topo

Marcelinho agradece elogio de Neto e alerta T. Nunes: 'Não tem o vestiário'

Marcelinho Carioca comparece a evento beneficente de Emerson Sheik - Eduardo Martins/ AGNEWS
Marcelinho Carioca comparece a evento beneficente de Emerson Sheik Imagem: Eduardo Martins/ AGNEWS

Colaboração para o UOL, em São Paulo

29/03/2020 18h55

Eleito melhor jogador da história do Corinthians por Neto, apresentador da Bandeirantes, Marcelinho Carioca agradeceu o ex-jogador pelo carinho. Convidado do Expediente Futebol, programa do Fox Sports, deste domingo, o Pé de Anjo, no entanto, preferiu destacar a importância de diversos jogadores ao longo da história do Alvinegro.

"Cada atleta tem a sua importância dentro da instituição. O Corinthians está acima de qualquer orgulho, vaidade, estrelismo. O clube é eterno, a torcida é eterna, mas acho que contra fatos não há argumentos. Foi feita uma pesquisa em 2010, e nós ganhamos como Senhor Centenário, o jogador dos cem anos da história do clube, mas tanto o Neto, o Wladimir, Biro-Biro, Basílio, saudoso Sócrates, Rivellino, o próprio Sheik, que fez o gol da Libertadores, o próprio Cássio, que é um gigante. Acho que o Corinthians é muito grande para um ou outro se colocar acima disso", opinou Marcelinho, que seguiu:

"Fico muito feliz com as palavras do Neto, porque ele também é um ídolo, ganhou o título de 90, onde ele decidiu vários jogos. Recebo com muita gratidão, com muita alegria, mas acho que todo mundo teve a sua importância em determinado ano".

Já sobre o início de temporada do Corinthians, o ídolo alvinegro não foi tão gentil. Questionando as diversas alterações feitas por Tiago Nunes ao logo dos jogos, Marcelinho afirmou que o treinador 'não tem o vestiário na mão'.

"O cara (Tiago Nunes) não tem o vestiário na mão. Ele não tem o grupo na mão. Uma hora ele bota o Boselli, uma hora ele tira o Boselli. Ai, daqui a pouco, bota o Vagner Love, tira o Vagner Love. Não dá tempo de você respirar, de você ter essa formação. Tinha um esqueleto formado, e agora mudar radicalmente... É difícil de aceitar determinadas coisas, e agora o Tiago está entendendo a grandeza do Corinthians. Porque, no Corinthians, um espiro, se não cuidar, vira pneumonia. Agora ele está vendo o olho do furacão", alertou o ex-jogador.

Marcelinho ainda criticou o Corinthians pela eliminação na fase preliminar da Libertadores, contra o Guaraní, do Paraguai, assim como pela saída do volante Ralf.

"O nível do Corinthians, o nome do Corinthians, a estrutura que o Corinthians tem, o peso da camisa, é inadmissível perder para o Guaraní, do Paraguai, ainda mais numa Pré-Libertadores. Não tem como a gente aceitar isso. Por quê? A meu ver, o Corinthians ainda faltam algumas peças de reposição, e até no próprio time", disse o Pé de Anjo, que completou:

"Do jeito que o Ralf estava, ele ainda tinha qualidade técnica para poder atuar no meio de campo do Corinthians, que hoje só está o Luan".

UOL Esporte vê TV