PUBLICIDADE
Topo

Vice da Uefa não descarta mudança em fórmula para encerramento da Champions

Troféu da Liga dos Campeões - Divulgação
Troféu da Liga dos Campeões Imagem: Divulgação

Do UOL, em São Paulo

26/03/2020 10h59

Classificação e Jogos

O vice-presidente da Uefa, Michele Uva, disse em entrevista para o jornal italiano La Repubblica que a entidade não descarta mudanças na fórmula para a finalização da atual edição da Liga dos Campeões, suspensa em meio à disputa das oitavas de final por causa da pandemia do novo coronavírus.

Segundo o dirigente, o importante é concluir o campeonato, que já teve a sua data final adiada. Jornais do continente já especularam diversas opções para diminuir o número de datas necessárias para a conclusão do campeonato, como um quadrangular final.

"Não excluímos (a possibilidade de mudar fórmulas), depende das datas que teremos disponíveis e dos cenários que serão criados. Adiamos oficialmente as finais da Liga dos Campeões e da Liga Europa, previstas inicialmente para maio. O importante é conseguir atribuir os troféus, em relação à fórmula a discussão está aberta", disse.

Michele Uva ainda disse que mudanças podem ocorrer nos campeonatos nacionais, se assim os países em questão resolverem.

"Por regulamento, cada país pode decidir como desenvolver o campeonato. Somente este ano, em quatro países, foi decidido alterar o número de equipes, inserindo playoffs. Não impomos restrições", disse.

Michele Uva ainda disse que, a princípio, as regras do fair play financeiro continuarão iguais mesmo diante de um evento extraordinário.

"Quero deixar claro: as restrições permanecem. No entanto, lembro que, para o acesso às competições europeias no próximo ano, as contas da temporada 18/19 mais a primeira metade de 19/20 são válidas", disse.

Ele ainda disse que a entidade vai usar o fundo de reserva como auxílio ao futebol europeu. "Reservamos dinheiro ao longo dos anos apenas para lidar com crises inesperadas. Sobre como gastá-las, a decisão cabe ao comitê executivo. Primeiro, precisamos conhecer o real impacto econômico da emergência do coronavírus. Antecipamos que não ajudaremos clubes individuais Esse dinheiro será destinado a apoiar todo o sistema, começando pelas ligas juvenis e pelo futebol feminino ", disse.

Por último, o vice-presidente da Uefa disse que não pode prever quando será a retomada do público aos estádios e se será necessária a realização de partidas com portões fechados.

"Em uma lógica de retomada gradual do jogo, pode ser necessário (jogos sem torcida). Mas lembremos que na Europa existem 55 federações de futebol diferentes e o mesmo número de governos nacionais. Na presença do público, cada país regula à sua maneira. Podemos, na melhor das hipóteses, dar uma orientação geral, não vinculativa", disse.