PUBLICIDADE
Topo

Cenário para reforços muda no Flamengo; paralisação pode ter reflexos

Flamengo ganhou reforços renomados para esta temporada - Alexandre Vidal / Flamengo
Flamengo ganhou reforços renomados para esta temporada Imagem: Alexandre Vidal / Flamengo

Do UOL, no Rio de Janeiro (RJ)

26/03/2020 04h00

O cenário para os reforços do Flamengo mudou de um ano para o outro. Enquanto em 2019 todos os novos nomes foram alçados ao time titular, na atual temporada os recém-chegados ainda lutam para ter mais espaço. E a paralisação pode fazer, inclusive, com que três nomes tenham de correr contra o tempo para tentar repetir o "efeito Gabigol": os atacantes Pedro e Pedro Rocha, além do volante Thiago Maia.

Para o ano passado, a diretoria acertou com os zagueiros Rodrigo Caio e Pablo Marí, os laterais Rafinha e Filipe Luis, o volante Gerson, o meia Arrascaeta e os atacantes Bruno Henrique e Gabigol. Todos ganharam vaga na equipe sob o comando do técnico Jorge Jesus e fecharam a temporada com tal status.

Já em 2020, com exceção da zaga, onde Gustavo Henrique e Léo Pereira protagonizam uma briga para ocupar a vaga deixada por Pablo Mari, que foi para o inglês Arsenal, no restante dos setores os reforços buscam mostrar serviço ao comandante rubro-negro.

Dentre as negociações, duas foram por empréstimo até o fim do ano: Pedro Rocha, que tem vínculo com o Spartak Moscou, da Rússia, e Pedro, ligado à Fiorentina, da Itália. No caso de Thiago Maia, emprestado pelo Lille, da França, o contrato se encerra no meio de 2021.
Nos três casos há a opção de compra dos direitos ao fim do empréstimo.

O molde foi, mais ou menos, o feito pelo Flamengo nas conversas com a Inter de Milão, da Itália, por Gabigol, no começo do ano passado. O camisa 9 chegou à Gávea para atuar por um ano e, ao fim, o Rubro-Negro negociou com o clube italiano a permanência.

Ainda não se sabe, porém, quando os campeonatos serão retomados e se terá o mesmo número de jogos previstos. O Campeonato Carioca, por exemplo, ampliou o recesso até o fim de abril. Além disso, o fato de não ter Copa América neste ano pode fazer com que as chances sejam mais escassas, uma vez que havia a expectativa de alguns integrantes do elenco do Fla serem convocados à seleção brasileira o uruguaia — caso de Arrascaeta —, abrindo vaga no time.

"Acho que [a paralisação] vai atrapalhar não só o Flamengo, mas todos os clubes do Brasil e do mundo. Mas, neste momento, não tem o que fazer. É trabalhar em casa, perder o menos possível. Quando voltar, é recuperar o mais rapidamente possível para manter o nível que vinha tendo", disse, em entrevista à Fla TV, Pedro, que completou:

"A adaptação está sendo boa. Facilita muito chegar a um lugar em que você é bem recebido. A equipe do Flamengo é muito boa e, quem já estava, tem o cuidado de ensinar, pois já conhecia o Mister [técnico Jorge Jesus] há mais tempo. Tenho certeza que não só eu, mas os que chegaram agora estão bem adaptados".

Alexandre Vidal/Flamengo
Imagem: Alexandre Vidal/Flamengo

Os outros reforços têm vínculos mais longos com o Flamengo. Léo Pereira, negociado junto ao Athletico-PR, tem contrato até o fim de 2024, enquanto Gustavo Henrique, que estava no Santos, até o fim de 2023. Já Michael, destaque do Goiás em 2019, assinou até 2024.

Predileção por treino à noite

O atacante Pedro celebrou o fato de o Flamengo ter distribuído material para auxiliar o trabalho do elenco neste período de paralisação e revelou que prefere o horário da noite para treinar.

"É diferente. No Flamengo, temos todos os equipamentos. Mas o Flamengo facilitou muito com essa distribuição de equipamento para cada atleta. Estamos conseguindo nos virar em casa, manter a forma. Não é a mesma coisa, mas ajuda muito poder fazer em casa. Gosto de treinar mais à noite. Acordo um pouco tarde (risos)", apontou.

Flamengo