PUBLICIDADE
Topo

Futebol


"Só rezo, perdi muito": Ex-Santos, dono de escuna pra passeios tem prejuízo

Arquivo pessoal
Imagem: Arquivo pessoal

Vanderlei Lima

Do UOL, em São Paulo

24/03/2020 04h00

A pandemia do novo coronavírus (Covid-19) tem feito com que as pessoas permaneçam em casa como medida para tentar evitar a proliferação da doença. Com a população reclusa, os comércios começam a sofrer com a falta de clientes. Um dos casos é o de Guga, ex-atacante do Santos e que atualmente possui uma escuna para passeios turísticos em Ilha Grande, no Rio de Janeiro.

Em contato com a reportagem do UOL Esporte, o ex-jogador estima um prejuízo de R$ 50 mil com o cancelamento dos passeios agendados para março, abril e maio. Ainda não há previsão de quanto tempo o isolamento no país será necessário antes de a rotina voltar ao normal no Brasil.

"No momento, eu não consigo trabalhar de jeito nenhum. Tive que devolver todos os sinais [adiantamento pago pelos turistas] que deram para garantir a vaga nos passeios. Não tenho previsão de quando vou conseguir fazer alguma coisa", lamenta.

Guga trabalha no ramo de turismo há 15 anos, desde que fechou as duas lotéricas que chegou a ter após o encerramento da carreira de jogador. A escuna é, no momento, a única fonte de renda do ex-atacante de 55 anos.

"A gente reza para que isso passe logo, porque vai prejudicar muita gente que vai perder o emprego. Já estamos em uma situação tão difícil no país, precisamos trabalhar. Mas é claro que, neste momento de pico da doença, temos que ficar em casa, não tem outro jeito. Só rezo para que no mês que vem já dê uma melhorar e eu possa voltar para a minha vida normal."

Futebol