PUBLICIDADE
Topo

Por que Marquinhos foi na direção contrária e decidiu ficar em Paris

Gonzalo Fuentes/Reuters
Imagem: Gonzalo Fuentes/Reuters

João Henrique Marques

Colaboração para o UOL, em Paris

22/03/2020 04h00

Ao contrário de Thiago Silva e Neymar, o zagueiro Marquinhos decidiu se fechar com a família em Paris para realizar a quarentena contra a ameaça da epidemia do Coronavírus. Entre os vários aspectos para a escolha de não viajar ao Brasil esteve presente um receio de já estar contaminado e espalhar o vírus no país.

Marquinhos e a mulher, Carol Cabrino, discutiram a ideia de ir ao Brasil na segunda-feira, pouco depois que Paris Saint-Germain anunciou a pausa em atividades por tempo indeterminado. No entanto, a decisão foi a de reunir em casa todos os familiares e amigos presentes em Paris e aguardar pelo final da quarentena. Para o casal também pesou o fato de ter dois filhos pequenos: Duda, de 2 anos, e o recém nascido Enrico.

"E se estamos com o vírus circulando entre nós e não sabemos? É uma responsabilidade muito grande que temos de zelar pela nossa saúde, da nossa família e de quem participa do nosso caminho de ida ao Brasil. Claro que eu queria voltar, mas foi uma decisão bem pensada", comentou Carol Cabrino em sua conta no Instagram.

Em Paris, a casa de Marquinhos conta com mais de 15 pessoas, já que além de ter familiares vivendo na capital francesa, Marquinhos ainda tinha convidados na cidade por conta do duelo contra o Borussia Dortmund, pelas oitavas de final da Liga dos Campeões (jogo realizado em 11 de março).

"Criamos regras para que as pessoas não saiam de casa, como determina o confinamento. Até quando vamos ao supermercado levamos máscaras e respeitamos a regra de distanciamento", explicou Carol.

A decisão de Marquinhos em ficar em Paris agradou os dirigentes do PSG. Era um desejo do clube a permanência de todos os jogadores do elenco em Paris até que o final do confinamento na França para evitar o risco de fechamento de fronteiras, ou de obrigatoriedade de quarentena no retorno. Thiago Silva, Neymar e Cavani foram os jogadores que não seguiram a orientação.

No PSG, o temor é de que o retorno do futebol europeu aconteça sem muito tempo para treinamentos. A Uefa já anunciou que a final da Liga dos Campeões foi adiada para o dia 27 de junho, mas deixou em aberta as datas das fases anteriores. O time francês já está nas quartas de final.

Neymar e Thiago viajaram ao Brasil na terça-feira. Os jogadores treinam por conta própria, seguindo uma rotina de exercícios transmitida pela comissão técnica do PSG, e evitam contato público em suas residências.

Os dois astros decidiram o retorno ao Brasil em razão da indefinição da data de volta do futebol na Europa. O governo francês decretou o confinamento da população por 15 dias a partir de terça-feira, mas já trabalha abertamente com a possibilidade de prorrogar a medida por até 45 dias.

Futebol