PUBLICIDADE
Topo

UOL Esporte vê TV


Brasileiro do Kashima Antlers conta rotina de treinos no Japão: 'Normal'

Formado no Inter, Juan Alano atua pelo Kashima Antlers (JAP) - Ricardo Duarte/Inter
Formado no Inter, Juan Alano atua pelo Kashima Antlers (JAP) Imagem: Ricardo Duarte/Inter

Colaboração para o UOL, em São Paulo

22/03/2020 21h35

O meio-campista Juan Alano, do Kashima Antlers (JAP), contou sobre sua rotina de treinos na equipe japonesa, que continua normal. O jogador brasileiro revelado pelo Internacional disse ainda que as equipes estão disputando amistosos com portões fechados enquanto a J-League, o Campeonato Japonês, está paralisado - a princípio, até o dia 4 de abril.

"A gente está treinando normalmente. Só a J-League (Campeonato Japonês) que parou. Está há um mês parado, mas seguimos a rotina de treinos normalmente. Estamos fazendo amistosos com portões fechados também. O que a gente faz de diferente no treino é medir a temperatura. Os treinamentos seguem normalmente, os horários. A gente deve evitar lugares com aglomeração, tomar os cuidados, mas estamos cumprindo a rotina. Até porque, a previsão é de que o campeonato volte no próximo dia 4. Já tem uma nova data para adiar, se necessário", declarou em entrevista ao Troca de Passes, do SporTV, hoje (22).

Na opinião de Juan Alano, os bons hábitos dos japoneses em relação à saúde ajudaram a conter a transmissão do Coronavírus.

"Aqui no Japão tem muitos casos, mas está mais controlado. Eles já são mais cuidadosos com a saúde normalmente. Também não tem a cultura de cumprimentar, pegar na mão, abraço, acho que isso também ajudou no controle. Isso ajudou muito a conter a transmissão aqui. É claro que existe a preocupação, normal. Mas os japoneses seguem a rotina. É um povo muito disciplinado. A máscara, por exemplo, eles já usam só por estarem gripados. Aliás, máscaras e álcool em gel por aqui sempre são muito procurados, porque o pessoal cuida muito da saúde", completou.

Até a última sexta-feira, o Japão tinha registrado 962 casos de Covid-19, com 40 mortes em decorrência do vírus.

UOL Esporte vê TV