PUBLICIDADE
Topo

Presidente do Bahia: 'Clubes podem se manter até 3 meses nesta situação'

Guilherme Bellintani, presidente do Bahia - Felipe Oliveira / EC Bahia
Guilherme Bellintani, presidente do Bahia Imagem: Felipe Oliveira / EC Bahia

Colaboração para o UOL, em São Paulo

21/03/2020 20h03

Diante da paralisação do futebol brasileiro, Guilherme Bellintani, presidente do Bahia, afirmou que os clubes podem se manter por até três meses sem o futebol. Na opinião do mandatário, este prazo serve para as equipes mais bem estruturadas. O dirigente acredita que times sem uma renda bem distribuída terão mais dificuldades.

"É um momento apreensivo, primeiro no país. Não é hora de pensar apenas no futebol. A gente tem que pensar em como participar intensamente deste momento para ajudar o país a superar essa fase difícil, mas que eu tenho certeza que será superada. A gente tem discutido na Comissão Nacional de Clubes diversas necessidades de ajustes de calendários, de modelos de competições, de contratos, por conta de uma série de impactos que o futebol vai sofrer. O objetivo é passar desta fase o menos enfraquecido possível. Quanto mais a gente dividir experiências e propor soluções, mais facilmente a gente vai superar este obstáculo em todo o país e também no futebol. Está claro que é um momento atípico para qualquer clube que se planeje bem. A gente tem que se ajustar Se a gente considerar que os contratos de TV vão ser mantidos na integridade, se considerarmos pouca evasão de sócios e manutenção de patrocinadores, um clube pode se sustentar por dois ou três meses. Se um clube tem uma rede de sustentação mais frágil, ele não aguenta nem 30 dias na atual situação"", afirmou em entrevista à Faixa Especial do SporTV, hoje (21).

O mandatário ainda fez um apelo à população soteropolitana, pedindo que todos fiquem em casa. Bellintani acredita que os problemas sociais da capital baiana podem se tornar catalisadores do Coronavírus se as pessoas não acatarem às recomendações do governo.

"Salvador é uma cidade muito populosa e pobre. Apesar do empenho do prefeito em pedir para a população ficar em casa, ainda tem muita gente na rua. Eu queria pedir às torcidas do Bahia, Vitória e a quem gosta de futebol, que fiquem em casa. Salvador é uma cidade com muitos problemas sociais e pode sofrer muito se o Coronavírus chegar aqui para valer", completou.

UOL Esporte vê TV