PUBLICIDADE
Topo

Diego Souza virou centroavante após entrevista na TV e 'chuva de mensagens'

Divulgação/Conmebol
Imagem: Divulgação/Conmebol

Jeremias Wernek

Do UOL, em Porto Alegre

21/03/2020 04h00

Diego Souza é o artilheiro do Grêmio em 2020, mas bem antes de desbancar Everton Cebolinha na lista de goleadores viu a carreira dar uma guinada de forma inusitada. O atual camisa 29 do clube gaúcho só virou centroavante graças a uma entrevista de Tite, técnico da seleção brasileira. Naquele dia, a ideia do treinador e a 'chuva de mensagens' mudaram a vida do antigo volante revelado pelo Fluminense.

Em entrevista ao UOL Esporte, Diego Souza conta que foi pego de surpresa com a ideia de Tite. Ao ouvir e ideia de ser escalado dentro da área, o então jogador do Sport comprou rápido o plano e passou a treinar atributos específicos até a nova convocação.

Para entender a história, é preciso voltar a 25 de janeiro de 2017. O dia em que Brasil e Colômbia fizeram o chamado 'Jogo da Amizade, no estádio Nilton Santos, no Rio de Janeiro. O amistoso para celebrar a vida e a solidariedade do povo colombiano na tragédia do voo da Chapecoense, no ano anterior.

Diego Souza estava lá. Com a camisa nove.

"Ali eu jogava no ataque já. Mas jogava atrás de um centroavante ou pelos lados. Não tinha virado centroavante ainda", conta Diego Souza.

Os números, porém, já eram bons. Em 2016, o então camisa 87 do Sport fez 15 gols. E também balançou as redes quatro vezes com a camisa do Fluminense.

"Eu lembro que joguei o jogo contra a Colômbia, mas tinha muito jogador do Brasil na convocação e nem pensei mais em seguir na seleção. Aí um dia, estava em casa, e meu celular começou a receber muita mensagem. Mas muita mensagem mesmo", relembra.

Eram amigos, familiares e até fãs pelas redes sociais. Todos repercutindo as palavras de Tite.

"Ele deu uma entrevista logo depois da lesão do Gabriel Jesus [que havia torcido o tornozelo] e falou que para a função de centroavante tinha o Firmino e eu. Me mandaram isso e eu achei que não era verdade. Aí eu vi ele falando na TV e falei: 'que?'", revela Diego Souza.

A reação ainda é reproduzida com espanto genuíno. Depois de recolher o queixo caído com a surpreendente declaração do técnico, o volante que virou meia e passou a atacante criou um plano.

"Pensei comigo e decidi que ia me preparar. Se o Tite falou aquilo, iria me convocar. Aí eu passei a treinar no Sport para evoluir em coisas que o atacante precisa", explica.

Em 2017, foram 21 gols pelo Sport e se destacou. Assédio no mercado da bola. Transferência para o São Paulo, onde marcou 17 gols e depois ida ao Botafogo, com mais nove bolas na rede.

A sequência na seleção brasileira não veio, mas a transformação manteve Diego Souza como jogador valorizado no mercado. E agora, titular do Grêmio.

Futebol