PUBLICIDADE
Topo

UOL Esporte vê TV


'Nunca vi uma epidemia como essa', diz Lucas Moura sobre coronavírus

Lucas Moura celebra gol marcado pelo Tottenham contra o Middlesbrough - Scott Heppell/Reuters
Lucas Moura celebra gol marcado pelo Tottenham contra o Middlesbrough Imagem: Scott Heppell/Reuters

Colaboração para o UOL, em São Paulo

18/03/2020 13h10

Lucas Moura, jogador do Tottenham, foi mais um a falar sobre os efeitos do coronavírus no futebol mundial. Em entrevista ao Jogo Aberto de hoje, o atacante afirmou que, no início, não imaginava que a covid-19 chegaria ao atual cenário e pediu para as pessoas permanecerem em suas casas.

"Aqui na Inglaterra está todo mundo muito apreensivo. Nossa rotina é ficar dentro de casa, seguir as orientações que o clube passou. Hoje, não tive treino. Tive treino segunda e terça, hoje tive folga, treino quinta e sexta. As crianças já não estão indo para a escola, eu vou da casa para o treino, do treino para casa. Eles montaram um esquema de treino para não ter contato com outros jogadores, é mais finalização, corrida, sem contato físico", relatou o jogador.

Após acreditar, no início, que a covid-19 teria consequências semelhantes as do ebola e da gripe aviária, Lucas alertou para a seriedade da doença. O jogador ainda pediu paras as pessoas fazerem 'sacrifícios' e permanecerem em casa.

"Não imaginava que tomaria a proporção que tomou. A gente imaginava que era mais uma daquelas epidemias que logo ia passar, como o ebola, como a gripe do frango, que teve, foi um pouco grave, mas não espalhou para o mundo todo, como está sendo este coronavírus. E, na verdade, acho que até por isso muita gente não levou a sério, e acabou espalhando ainda mais. Mas é algo muito sério, que está preocupando muita gente. (...) Não é brincadeira, é algo muito sério. Eu, particularmente, nunca vi uma epidemia como essa. Então, a gente fica bastante assustado", contou Moura, que seguiu:

"É um sacrifício que todos têm que fazer para se prevenir. Coisas que a gente fazia antes, lugares que a gente frequentava antes, a gente não pode ir mais, tem que ficar em casa. Aqui estão bem lotados os mercados e muita coisa está em falta, você só pode comprar determinada quantidade de cada" produto".

UOL Esporte vê TV