PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Por que o Gre-Nal da Libertadores é 'mais que um jogo' para Grêmio e Inter

Pedro H. Tesch/AGI
Imagem: Pedro H. Tesch/AGI

12/03/2020 04h00

Classificação e Jogos

Grêmio e Internacional escrevem hoje (12), na Arena do Grêmio, um novo capítulo na história do Gre-Nal. Pela primeira vez, os rivais jogam duelo pela Copa Libertadores e o jogo vale a liderança do Grupo E. Mas o segundo encontro dos clubes em 2020 também tem significados maiores do que meramente disputa pelo primeiro lugar da chave. A rivalidade vem acompanhada de razões particulares para que gremistas e colorados corram muito em campo.

O Gre-Nal 424 começa às 21h (horário de Brasília) e a projeção é de 51 mil pessoas.

É claro que o ineditismo mexe com Grêmio e Inter. Ganhar o primeiro jogo contra o rival na Libertadores entrará para a história, mas o prato principal vem com outros bons motivos para mobilizar os dois lados.

"É um privilégio estar jogando um Gre-Nal, ainda mais por ser inédito e por ser Libertadores", disse Everton, atacante do Grêmio. "A véspera de um clássico sempre é diferente, tem uma ansiedade maior", contou Eduardo Coudet, treinador do Inter.

Para o Grêmio, o clássico vale a manutenção da supremacia atual. Os seis anos sem derrota para o Inter na Arena, a sequência de seis jogos invictos contra o Internacional. E até uma nota a mais na tese de que os clubes estão distantes, pelos resultados dos últimos anos.

Também está no cardápio gremista a chance de apagar de vez qualquer sombra da derrota para o Flamengo, em 2019. Na semifinal da Libertadores do ano passado, o Grêmio levou 5 a 0 no Maracanã e suportou a crise. Engoliu seco e seguiu em frente até o fim do ano.

O Gre-Nal é o primeiro enfrentamento de Renato contra clube brasileiro na Libertadores, desde a fatídica noite no Rio de Janeiro. No dia a dia gremista, aquele revés ficou para trás. Externamente, vencer o clássico dá mais um sinal de força.

No lado do Inter, cada vitória conta (e muito) na construção da identidade do time com Eduardo Coudet. Ganhar um clássico, na casa do adversário e pela Libertadores, soa como ingrediente perfeito para a equipe deslanchar de vez.

"A gente sabe que em clássico não existe favorito. Temos a vantagem de jogar em casa, mas respeitando o adversário por vir em uma crescente. Que mudou seu estilo de jogo, está mais ofensiva", comentou Everton. "Estamos tentando seguir crescendo através de uma forma, uma ideia. E vamos mantê-la", avisou Coudet.

O menu colorado no Gre-Nal 424 é, portanto, invertido — na comparação com o Grêmio. O acompanhamento passa a ser a série de tabus no clássico. Como a falta de vitórias desde 2018 e o jejum de triunfos na Arena, calada pela última vez em março de 2014.

De um lado e do outro, vencer o Gre-Nal significa muito. Ganhar do rival, agora, tem também efeitos paralelos. Elementos que esquentam o jogo histórico de hoje.

FICHA TÉCNICA:
GRÊMIO x INTERNACIONAL

Data e hora: 12/03/2020 (quinta-feira), às 21h (horário de Brasília)
Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre (RS)
Transmissão: Facebook Watch
Árbitro: Fernando Rapalini (ARG)
Auxiliares: Juan Pablo Belatti (ARG) e Gabriel Chade (ARG)

GRÊMIO: Vanderlei; Victor Ferraz, Pedro Geromel, David Braz (Kannemann) e Caio Henrique; Maicon, Lucas Silva, Matheus Henrique, Alisson e Everton; Diego Souza. Técnico: Renato Gaúcho

INTERNACIONAL: Marcelo Lomba; Saravia, Bruno Fuchs, Victor Cuesta e Uendel; Musto, Marcos Guilherme, Edenilson, e Gabriel Boschilia; Thiago Galhardo e Guerrero. Técnico: Eduardo Coudet

Futebol