PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Gre-Nal tem disputa nos bastidores para 'se livrar' de show do Metallica

Alexandre Schneider/UOL
Imagem: Alexandre Schneider/UOL

Jeremias Wernek e Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

12/03/2020 04h00

Resumo da notícia

  • Grêmio procurou Inter e conversou sobre chance de show do Metallica trocar de lugar em Porto Alegre
  • Presidente gremista tentou acordo com presidente colorado para Beira-Rio receber atração
  • Inter alegou problemas no gramado e agenda para recusar oferta, mesmo após parceira do clube mostrar interesse
  • Grêmio mantém posição de que jogará contra Universidad Católica, no dia do show do Metallica, na Arena
  • Organização da turnê e dirigentes gremistas seguem em busca de uma saída para o show

Grêmio e Internacional entram em campo hoje (12), pela segunda rodada da fase de grupos da Copa Libertadores, mas já jogam um Gre-Nal nos bastidores há dias. As duas diretorias tentam fugir do compromisso com a banda Metallica, que tem show em Porto Alegre marcado para 21 de abril. O assunto, inclusive, foi tema de conversa entre os dirigentes gaúchos.

Segundo apurou o UOL Esporte, os presidentes de Grêmio e Inter falaram sobre a apresentação do Metallica na véspera do Gre-Nal 424. O papo ocorreu durante almoço.

"Não levou cinco minutos para entendermos os motivos do Inter para não receber o show", contou Romildo Bolzan Jr., presidente do Grêmio.

O assunto não é novo, mas a reunião entre os clubes abre novo capítulo dentro do impasse. O Grêmio tem jogo pela Libertadores na mesma data do show e assegura a realização da partida, contra Universidad Católica-CHI, na Arena do Grêmio.

O contrato entre Grêmio e Arena Porto-Alegrense, empresa que administra o estádio e tem diretoria mista (com representantes do clube e da empreiteira que construiu o equipamento) dá prioridade aos jogos em relação aos demais eventos. Por isso, a cúpula gremista procurou o Inter para tentar costurar acordo que pudesse levar o show ao estádio Beira-Rio.

Em um primeiro momento, a Brio — empresa que administra áreas nobres do estádio Beira-Rio —, gostou da ideia e avançou em acordo para acolher o Metallica e a legião de fãs. A direção do Inter, no entanto, se mostrou contrária e passou a pressionar a parceira para não assinar o contrato. Movimento nas redes sociais contra o evento ganharam o apoio de Eduardo Coudet.

O treinador do Inter criticou o gramado do Beira-Rio e do CT Parque Gigante depois de jogo do Gauchão.

A coluna De Primeira mostrou que a fala, espontânea, foi um mecanismo público de pressão do clube para vetar o show. No site do Metallica, ainda constam os quatro shows no Brasil. A apresentação em Porto Alegre segue como a ser realizada na Arena do Grêmio.

De acordo com GaúchaZH, a produtora da turnê no Brasil procurou outra alternativa para a apresentação. A saída seria levar o Metallica para o salão da FIERGS (Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul), mas o contato foi realizado antes da reunião entre os dirigentes de Grêmio e Internacional.

Futebol