PUBLICIDADE
Topo

Futebol

"Não tive reação", diz torcedor que denunciou homem filmando mulher no Rio

Adriano Wilkson

Do UOL, em São Paulo

11/03/2020 14h49

O torcedor do Botafogo Gustavo Marinho disse que ficou sem reação e com "as pernas bambas" quando flagrou outro torcedor filmando uma mulher por trás no estádio Nilton Santos ontem (10), durante partida contra o Paraná.

Nas imagens, um botafoguense ainda não identificado é visto filmando e dando zoom no bumbum de uma torcedora que assistia ao jogo na sua frente.

Gustavo, que estava na fileira de trás da arquibancada, sentiu medo de interpelar o homem e causar um tumulto no estádio. Por isso decidiu apenas filmar a cena e mais tarde denunciar o assédio no Twitter. O vídeo ganhou repercussão imediata, causou revolta entre torcedores na internet e provocou uma manifestação oficial do Botafogo, que disse repudiar e lamentar o episódio.

"Quando fixei o olhar no cara, pensei: 'Não pode ser isso, tô viajando!' Na hora fiquei sem reação, minhas pernas tremeram. Mostrei pra minha namorada e ela ficou em choque. Fique me perguntando o que fazer ali, até que ela disse para eu não fazer nada porque estava com medo do cara", disse Gustavo, que é estudante de publicidade no Rio.

Gustavo cogitou tirar satisfação com o torcedor, mas temeu que ele reagisse mal, estivesse armado e quisesse causar uma confusão. Ao chegar em casa, resolveu publicar o vídeo em sua conta pessoal no Twitter e buscar uma punição ao envolvido. Com a repercussão, o próprio denunciante virou alvo de críticos, para os quais ele deveria ter agido de maneira mais incisiva na hora.

"Eu penso que poderia ter feito mais", admitiu o botafoguense, que também não conversou com a mulher que foi filmada. "Mas só quem vive sabe. Na hora não passou nada na cabeça. Eu não sou de agredir, não sou de fazer essas coisas e não soube como agir. Fiquei com medo porque minha namorada estava do meu lado. Eu me arrependo de não ter feito mais na hora, mas depois fiz o que estava ao meu alcance."

Em nota oficial, o Botafogo afirmou que "repudia e lamenta o episódio envolvendo assédio na arquibancada do Estádio Nilton Santos, no jogo com o Paraná, pela Copa do Brasil". O clube pediu "respeito às mulheres" e disse que "jamais vai admitir que isso ocorra dentro de sua casa."

Gustavo afirmou que está disposto a entregar fotos do suspeito de assédio ao clube e espera que seja feita Justiça.

"Eu não queria me meter nessa situação, que é muito sensível. Eu fui pro jogo pra me divertir, e me machuca as pessoas dizerem que eu publiquei o vídeo pra ganhar like. Eu jamais faria isso. Fiz pra irem atrás de um cara como esse. E que façam justiça com ele e não que cheguem dando soco."

Os clubes de futebol têm se mostrado mais sensíveis em relação a situações de assédio sexual em estádios. No ano passado, o Bahia lançou um site e um aplicativo para que mulheres possam denunciar caso sejam vítimas de assédio antes, durante ou depois de jogos. Em 2018, o Vasco da Gama criou uma ouvidoria para facilitar o recebimento de denúncias de práticas que atentem contra os direitos das mulheres.

Futebol