PUBLICIDADE
Topo

Jesus diz que aceitaria assumir seleção e minimiza críticas de brasileiros

Jorge Jesus, técnico do Flamengo, na comemoração da Recopa - Allan Carvalho/Allan Carvalho/AGIF
Jorge Jesus, técnico do Flamengo, na comemoração da Recopa Imagem: Allan Carvalho/Allan Carvalho/AGIF

Colaboração para o UOL, em São Paulo

09/03/2020 23h25

Jorge Jesus disse que aceitaria um convite para ser o sucessor de Tite na seleção brasileira. No entanto, o treinador português não acredita que a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) faça o convite a qualquer treinador estrangeiro.

"Qual treinador do mundo não aceitaria treinar o Brasil? O Brasil tem um leque de jogadores que forma duas seleções no maior nível do mundo. Mas acho que a Confederação Brasileira de Futebol não convidaria um treinador estrangeiro. Acho difícil. Mas as coisas mudam. Nunca achei que o Flamengo iria querer um português. Nunca achei que treinaria o Flamengo. E cá estou, feliz e contente", declarou em entrevista ao Jogo Sagrado, do Fox Sports.

Relembre a chegada de Jorge Jesus ao Flamengo

Ainda no assunto seleção, Jorge Jesus lamentou que o Brasil não conquiste a Copa do Mundo desde 2002. Na opinião do treinador, um país com tantos jogadores bons não poderia ficar tanto tempo sem vencer a competição.

"O Brasil já não é campeão desde 2002? Nem sabia que eram tantos anos. O Brasil não pode estar há tantos anos sem ser campeão do mundo. Sabe por quê? Porque tem os melhores jogadores do mundo. Não pode! Não pode!", disse.

O treinador ainda falou sobre a recepção dos seus colegas de profissão brasileiros quando chegou ao país e minimizou as opiniões negativas.

"Não fiquei muito preocupado com a opinião dos meus colegas treinadores brasileiros. Não respondi e não vou responder. Eu quis provar a qualidade do meu trabalho vencendo. E em todo mundo é assim. Talvez o que o Valentim falou foi o mais pesado", disse.

Playlist Automática do Flamengo

UOL Esporte vê TV