PUBLICIDADE
Topo

Muricy critica São Paulo após derrota e vê convocação 'normal' de Tite

Muricy Ramalho no Globo Esporte - Reprodução/TV Globo
Muricy Ramalho no Globo Esporte Imagem: Reprodução/TV Globo

Colaboração para o UOL, em São Paulo

06/03/2020 15h36

Único brasileiro a estrear na Libertadores com derrota, o São Paulo, para Muricy Ramalho, 'teve tudo na mão' para vencer o Binacional (PER), ontem, fora de casa. Analisando, durante o Globo Esporte SP desta sexta-feira, as chances perdidas pelo Tricolor na derrota por 2 a 1, o comentarista afirmou que o time de Fernando Diniz precisava matar o jogo no primeiro tempo.

No que diz respeito a altitude, o ex-técnico acredita que os quase 4.000 metros acima do nível do mar atrapalharam a reação do São Paulo em seu primeiro jogo pela fase de grupos da Libertadores.

"O São Paulo teve tudo na mão. Começou o jogo em cima, como era esperado, porque, quando você chega duas horas antes, você não sente muito a altitude. Mas, vai passado o jogo, você vai começando a entrar na altitude e ela vai pegando você. O São Paulo, na hora que quis reagir, já era. Tem que matar o jogo no começo", comentou Ramalho que isentou Diniz da falta de pontaria tricolor:

"Ele (Diniz) faz tudo que tem que fazer, ou seja, dá profundidade, treinamento... mas aí, é coisa do jogador".

Sobre o grupo do Tricolor na competição sul-americana, o comentarista ressaltou a importância de sair do Peru com um bom resultado. O São Paulo terá pela frente a LDU, do Equador, e o River Plate, da Argentina.

"Não para perder pontos para esse time, que é o pior do grupo. Tem que ganhar dele, porque tem duas pedreiras agora, LDU e River", opinou o ex-técnico.

O São Paulo volta a campo neste domingo, às 16h, para encarar o Botafogo-SP pela nona rodada do Campeonato Paulista.

E a seleção brasileira?

Além da derrota tricolor, Muricy Ramalho também comentou a convocação da seleção brasileira para os primeiros jogos das Eliminatórias da Copa do Mundo de 2022. Elogiando o ataque da seleção brasileira, o ex-técnico acredita que não há muito o que se discutir quanto as escolhas de Tite.

"Que ataque! O Tite não vai poder reclamar, é muita gente boa. Eu acho que não teve grandes surpresas. O Everton Ribeiro era esperado, é um meia diferente. Então, acho que está normal. Não tem muito o que discutir não", avaliou Muricy.

A seleção brasileira estreia no dia 27 de março contra a Bolívia. Na sequência, no dia 31, o Brasil encara o Peru.

Errata: o texto foi atualizado
Diferentemente do que foi informado na primeira versão do texto, o São Paulo não enfrentará a Ferroviária no final de semana, e sim o Botafogo-SP. O erro foi corrigido.

UOL Esporte vê TV