PUBLICIDADE
Topo

Flamengo

Idolatria a Gabigol mostra que investimento do Fla pode ter ecos positivos

Gabigol deu as chuteiras para uma criança colombiana depois do jogo - View press/Getty Images
Gabigol deu as chuteiras para uma criança colombiana depois do jogo Imagem: View press/Getty Images

Do UOL, no Rio de Janeiro (RJ)

06/03/2020 04h00

Antes do apito inicial, Alejandro Macias, de 10 anos, não segurou as lágrimas ao ganhar a camisa de treino de Gabigol. Quase no fim de jogo, invasão de campo por parte de um pequeno colombiano para abraçar e sair com camisa e chuteiras do camisa 9. Essas foram duas cenas que aconteceram em Barranquilla (COL), na estreia do Flamengo na Libertadores, e mostram que o investimento do Rubro-Negro no atacante pode ter reflexos também longe das quatro linhas.

A partida da última quarta-feira (4), contra o Junior Barranquilla, foi a primeira em que Gabigol passou em branco nesta temporada — Everton Ribeiro marcou os dois gols do time rubro-negro. Até aqui, o jogador fez nove gols em oito partidas, tendo média de 1,12 gols por partida.

Porém, apesar de não ter balançado a rede neste primeiro obstáculo do Fla na Libertadores, a passagem do camisa 9 pela Colômbia ficou marcada pelos gestos de carinho de torcedores rivais, principalmente entre as crianças. Por aqui, atitudes parecidas já haviam acontecido nos duelos contra o Grêmio, pelo Brasileiro do ano passado, e Boavista, no Carioca deste ano, por exemplo.

Torcedor do Junior Barranquilla chora ao receber camisa do Flamengo de Gabigol - Reprodução/Twitter - Reprodução/Twitter
Imagem: Reprodução/Twitter

"Muito feliz pelo carinho deles. Não esperava que fosse assim porque estamos tão distantes, né? Muito bonito ver a torcida deles batendo palma para mim, nunca tinha acontecido comigo. Foi a primeira vez. É muito legal porque somos adversários, mas, quando o juiz apita, tudo acaba. Foi uma cena muito bonita não só da minha parte, mas das crianças e da torcida deles ", disse o atacante, antes de completar:

"Isso é muito mais que um gol, que um título. Ser aplaudido pela torcida adversária, ter o carinho das crianças, vale mais que um gol. Tem sido muito legal. Nos lugares onde vou, tenho recebido esse carinho das crianças."

O Flamengo já demonstrou intenção de fazer produtos licenciados que explore a imagem de Gabigol e, inclusive, houve conversas, ainda iniciais, neste sentido. A ideia é aproveitar essa onda positiva do jogador e poder também ter ganhos financeiros.

No fim do ano passado, o "Gabigol de pelúcia", que virou febre entre a torcida e vem sendo comercializado por ambulantes, acendeu o sinal de alerta para tal cenário.

O jogador, ainda em 2019, chegou a virar personagem da Turma da Mônica, de Mauricio de Souza, exemplo de ação que pode voltar a ser usada. Na ilustração, ele usava a camisa rubro-negra. Nomes como Neymar e Ronaldinho Gaúcho já se "tornaram integrantes" do desenho da Turma.

O camisa 9 atuou pelo Flamengo em 2019 por empréstimo junto à Inter de Milão, da Itália. Pelo 'fico' do atacante, o Rubro-Negro investiu um pouco mais de 16 milhões de euros, cerca de R$ 75 milhões, com um contrato de cinco anos.

Trending no Twitter

No fim da tarde de ontem (5), a hashtag "Babu Gabigol Ficou" se tornou uma das mais publicadas no Twitter. Isso porque, o jogador fez publicações sobre o Big Brother Brasil (BBB), reality apresentado pela Globo, e pediu para avisar a Babu, rubro-negro declarado que está na casa, que ele ficou no Flamengo.

Durante o confinamento, Babu não escondeu a apreensão sobre a permanência do jogador na Gávea. Nas postagens, Gabigol chegou a insinuar que pode comemorar um gol com uma dancinha em homenagem a Babu.

Flamengo