PUBLICIDADE
Topo

Atlético-MG

Vínculo de Sampaoli no Atlético-MG tem dólar fixo, multa bilateral e aporte

Jorge Sampaoli (à direita) foi anunciado por Sérgio Sette Câmara, presidente do Atlético-MG, durante o mercado da bola - Atlético-MG/Divulgação
Jorge Sampaoli (à direita) foi anunciado por Sérgio Sette Câmara, presidente do Atlético-MG, durante o mercado da bola Imagem: Atlético-MG/Divulgação

Thiago Fernandes

Do UOL, em Belo Horizonte

05/03/2020 04h00

Resumo da notícia

  • As minutas do vínculo de Sampaoli são tratadas com sigilo absoluto por haver cláusula de confidencialidade. O UOL, porém, apurou alguns detalhes
  • O clube atendeu à exigência do técnico e fez o contrato todo cotado em dólar, o que inclui salários, luvas, direitos de imagem, bônus e até multa
  • Devido à oscilação recente da moeda, houve um acordo para congelar o valor. Ficou definido que o câmbio será a média da variação dos últimos dois anos
  • O Atlético se encarregará de pagar ao técnico o seu teto salarial - R$ 500 mil por mês. O restante - R$ 700 mil - será de responsabilidade da MRV
  • A intenção da construtora é ampliar o valor do patrocínio pago à equipe e, consequentemente, a exposição da marca em ações e materiais esportivos
  • Há um valor estabelecido em contrato para que seja feita a rescisão. A multa para o fim do acordo é a mesma para ambas as partes

Jorge Sampaoli chega a Belo Horizonte hoje (5) para assinar contrato com o Atlético-MG por duas temporadas. As minutas do vínculo do argentino são tratadas com sigilo absoluto por haver uma cláusula de confidencialidade. O UOL Esporte, no entanto, apurou alguns detalhes envolvendo o compromisso do treinador na Cidade do Galo.

O clube atendeu à principal exigência do técnico e fez o contrato todo cotado em dólar, o que inclui pagamento de salários, luvas, direitos de imagem, bônus e até multa rescisória. Contudo, devido à oscilação recente da moeda norte-americana, houve um acordo para congelar o valor. Ficou definido que o câmbio será a média da variação dos últimos dois anos. O número exato não foi revelado à reportagem.

Com o congelamento do valor do dólar, as partes definiram o pagamento do salário de Sampaoli e os seus cinco auxiliares. O Atlético se encarregará de pagar ao técnico o seu teto salarial - R$ 500 mil por mês. O restante - R$ 700 mil - será de responsabilidade da MRV Engenharia, patrocinadora do clube. Os outros parceiros se encarregarão de ajudar em contratações.

A intenção da construtora é ampliar o valor do patrocínio pago à equipe e, consequentemente, a exposição da marca em ações e materiais esportivos. Ainda não há uma definição sobre as novas diretrizes do acordo.

A multa rescisória foi outro ponto abordado na reunião. Há um valor estabelecido em contrato para que seja feita a rescisão. A quantia é a mesma para ambas as partes. Portanto, caso Sampaoli tenha a intenção de deixar a Cidade do Galo antes do fim do acordo, previsto para dezembro de 2021, ele também precisa ressarcir os mineiros.

A bilateralidade da multa é explicada pelo receio do Galo em perdê-lo para uma equipe de grande porte da Europa ou até para uma seleção. Por outro lado, o argentino preferiu se resguardar quanto a uma demissão meteórica, como ocorreu com Rafael Dudamel, seu antecessor.

Atlético-MG