PUBLICIDADE
Topo

Everton Felipe se firma no Cruzeiro e ganha sequência rara na carreira

Everton Felipe tem sido utilizado com frequência no Cruzeiro de Adilson Batista - Bruno Haddad/Cruzeiro
Everton Felipe tem sido utilizado com frequência no Cruzeiro de Adilson Batista Imagem: Bruno Haddad/Cruzeiro

Do UOL, em Belo Horizonte

29/02/2020 04h00

Quando desembarcou em Belo Horizonte, Everton Felipe comentou que o motivo que o fez trocar o São Paulo pelo Cruzeiro foi a possibilidade de mostrar seu futebol com mais frequência em 2020. E com poucos meses de temporada, o meia celeste já comemora uma sequência de jogos que não tinha desde 2017, quando ainda atuava no Sport.

Everton Felipe foi oficialmente apresentado no Cruzeiro no final de janeiro. Apenas cinco dias depois, o técnico Adilson Batista promoveu sua titularidade e de outros recém-chegados ao clube. O primeiro jogo ainda era considerado um teste para o treinador, mas o meia foi bem avaliado e não saiu mais do time. Pelo Estadual, já são quatro partidas seguidas. Na Copa do Brasil, sua escalação só não ocorreu por causa do desgaste físico.

Para se ter uma ideia da falta de sequência de Everton, seja no São Paulo ou Athletico Paranaense, onde esteve emprestado, o meia não teve nesses clubes sequer três jogos como titular durante os 90 minutos. A última vez que isso havia acontecido foi em 2017, pelo Sport, quando despontou para o futebol nacional. Depois de deixar o Leão, o jogador só fez 32 partidas nas duas temporadas seguintes.

"Individualmente, eu estou me sentindo bem, a cada jogo que vou fazendo minha parte física vai melhorando e vai se adaptando novamente. É um pouco difícil pelo ritmo de jogo porque fiquei dois anos sem atuar, sem ter uma sequência boa igual a essa que estou tendo no Cruzeiro. Mas a partir do momento que você vai jogando, nós vamos nos adaptando, pegando ritmo de jogo e quando você menos espera está tudo acontecendo", falou o meia.

Durante a semana, Adilson Batista passou a testar o Cruzeiro com três volantes no meio-campo. Isso poderá facilitar as atuações de Mauricio e Everton Felipe, que terão mais liberdade para descer ao ataque e abastecer Marcelo Moreno dentro da área. Além de voltar a jogar com frequência, Everton também está com saudade de marcar gols, já que seu último tento foi em abril de 2018, quando ainda defendia o Sport.

"Não estou no meu melhor momento técnico, sei que posso melhorar bastante, fico chateado comigo porque estou longe daquilo que eu posso render, que já rendi, mas faz parte Não preciso colocar na cabeça o tempo todo, ficar me cobrando coisas extraordinárias, porque vão acontecer naturalmente. Só tenho que colocar na minha cabeça que eu tenho que treinar, fazer minha parte e automaticamente vou voltar a jogar bem", completou o jogador de 22 anos.

Cruzeiro