PUBLICIDADE
Topo

Futebol


Espinosa foi guarda-costas de mulheres para evitar noitada de Renato Gaúcho

Renato Gaúcho comemora gol em Grêmio x Hamburgo, no Mundial de Clubes de 1983 - Reprodução/Grêmio
Renato Gaúcho comemora gol em Grêmio x Hamburgo, no Mundial de Clubes de 1983 Imagem: Reprodução/Grêmio

Do UOL, em São Paulo

28/02/2020 18h46

A relação entre Renato Gaúcho e o técnico Valdir Espinosa, morto ontem (27) após cirurgia no intestino, rende histórias há décadas. Só a chegada do atacante ao Grêmio possuía três versões diferentes. Mas Espinosa sempre foi categórico: orgulhava-se de ter sido o responsável por ir atrás do jogador no Esportivo. O UOL Esporte contou essas e outras histórias em reportagem especial sobre o técnico que marcou o futebol brasileiro.

Entre os causos de Espinosa e seu artilheiro, o técnico fisicamente se colocou no meio do caminho de uma possível noitada do craque. No Rio de Janeiro para um jogo do Grêmio, Espinosa notou duas mulheres bonitas no bar do hotel e, ao ouvir seus sotaques, foi até elas perguntar de onde eram. Ao descobrir que haviam chegado de Porto Alegre, o técnico pediu o número do quarto da dupla.

Espinosa visitou as mulheres e, de lá, ligou para Renato. "Eu estou aqui e você não vem" foi a mensagem para deixar claro que não teria farra por ali. Dito e feito: o treinador fez vezes de guarda-costas da dupla durante a noite toda e chegou exausto ao jogo no dia seguinte. Mas seu jogador estava inteiro.

Resultado: vitória do Grêmio.

Futebol