PUBLICIDADE
Topo

Peres quer dar tempo para Jesualdo, mas alerta: "Futebol fala por si só"

José Carlos Peres, presidente do Santos - Reprodução/YouTube
José Carlos Peres, presidente do Santos Imagem: Reprodução/YouTube

Eder Traskini e Léo Burlá

Do UOL, em Santos e no Rio de Janeiro

27/02/2020 18h46

O presidente José Carlos Peres segue pedindo tempo para o técnico Jesualdo Ferreira se adaptar ao Brasil. O mandatário do Santos lembrou que Jorge Sampaoli também teve altos e baixos no primeiro semestre, mas não deixou de fazer um alerta: para ele, é difícil controlar a situação quando a bola não entra.

Peres esteve na sede da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) para um congresso técnico e conversou com a imprensa. Ele reforçou a intenção de dar tempo ao português, mas lembrou que o futebol fala por si só.

"A gente sabia quando contratou o Jesualdo que haveria comparação. Não esperávamos que seria tão cruel e desrespeitosa. Sete jogos é muito difícil analisar um treinador. Demos tempo para o Sampaoli se adaptar também. Entendemos que o Jesualdo tenha sua oportunidade de adaptação. Futebol fala por si só. Se a bola não entra, é uma questão difícil de controlar. Intenção é que ele tenha o tempo para se adaptar", disse Peres.

Após um início de trabalho com a equipe evoluindo gradativamente em campo, o Santos vem de dois jogos com uma queda brusca de desempenho: o empate com a Ferroviária, onde Everson foi o herói do 0 a 0, e a derrota para o Ituano, por 2 a 0.

O técnico Jesualdo Ferreira terá pela frente dois confrontos que podem definir seu futuro no clube. Neste sábado, o Peixe enfrentar o Palmeiras, às 16h, no Pacaembu, pela oitava rodada do Campeonato Paulista. Três dias depois, na terça-feira, o Santos estreia na Copa Libertadores da América contra o Defensa y Justicia, na Argentina.

Existe a chance, ainda que remota e cheia de resistência dentro da própria diretoria, do treinador português ser demitido em caso de mais uma atuação ruim no clássico. No entanto, a ideia de estrear na principal competição do ano sem um técnico no banco de reservas incomoda e o Peixe viaja para a Argentina já no domingo.

Santos