PUBLICIDADE
Topo

Futebol


Peres diz que "assumiu" cláusula por 50% de Soteldo e reclama de assédio

Soteldo parte pra cima da marcação na vitória do Santos sobre o Botafogo-SP - Ivan Storti/Santos FC
Soteldo parte pra cima da marcação na vitória do Santos sobre o Botafogo-SP Imagem: Ivan Storti/Santos FC

Eder Traskini e José Eduardo Martins

Do UOL, em Santos e em São Paulo

20/02/2020 12h24

O presidente José Carlos Peres disse, em entrevista hoje durante evento da Federação Paulista de Futebol (FPF), que o Santos assumiu o compromisso previsto em contrato de adquirir os outros 50% do venezuelano Yeferson Soteldo. O mandatário reclamou bastante da postura do Atlético-MG no mercado da bola.

Sem dar entrevistas nos últimos tempos, foi a primeira vez que Peres falou sobre a situação de Soteldo. O mandatário chegou a ser confirmado na coletiva de imprensa após o "fico" do venezuelano, mas não compareceu por imprevistos.

O presidente santista confirmou a existência da cláusula que obriga o Santos a adquirir os 50% dos direitos econômicos de Soteldo que ainda pertencem ao Huachipato, do Chile. O valor, não confirmado por Peres, seria de US$ 6 milhões (R$ 25 milhões) em caso do Peixe rejeitar uma oferta de US$ 12 milhões (R$ 51 milhões), justamente o montante oferecido pelo Galo.

"Existe uma cláusula que, se surgisse proposta pelos outros 50%, nós teríamos que assumir a responsabilidade dos 50% do outro lado. E a gente assumiu, sem problema nenhum. Ninguém tira jogador do clube na mão grande. Não adianta vir com dívida de um ano atrás. Futebol não funciona assim, funciona com os clubes se entendendo. Houve pressão junto com o Huachipato e se deram mal", afirmou Peres.

Apesar de, segundo o presidente, o Peixe ter assumido o compromisso de adquirir os 50% pelo valor estipulado em contrato, especialistas ouvidos pelo UOL Esporte afirmam que tal cláusula é nula diante do artigo 18bis da FIFA.

O mandatário ainda reclamou bastante da postura do Galo na negociação e evitou até mesmo falar o nome do clube, se referindo aos mineiros como "esse time". Peres prometeu reclamar de assédio na CBF e definiu o episódio como "inaceitável".

"Em momento nenhum recebi contato desse time (Atlético-MG), exceto uma vez que fez uma consulta e eu disse que era impossível. Só demonstra o quanto os clubes estão desunidos. Nós vamos reclamar na CBF, causou dano ao clube. Não precisava, era só falar com a gente. É inaceitável, me deixou bastante indignado e a diretoria do Santos lamenta demais. Nunca fiz isso com clube nenhum. O Andrés (presidente do Corinthians), quando algum jogador é oferecido lá, ele me liga e pergunta. É isso que faço também", disse.

Para colocar fim na novela, o Santos renovou contrato com Soteldo. O Peixe ampliou o vínculo por mais um ano e deu um aumento salarial ao seu camisa 10.

Futebol