PUBLICIDADE
Topo

Insatisfação de Neymar repercute na Europa: 'explodiu contra o clube'

Do UOL, em São Paulo

19/02/2020 08h48

Classificação e Jogos

A insatisfação demonstrada por Neymar com a ausência nos jogos do PSG anteriores ao duelo da Liga dos Campeões contra o Borussia Dortmund, ontem, repercutiu na Europa. Jornais de países como Inglaterra, França e Espanha destacaram a reclamação do brasileiro após a derrota por 2 a 1 na Alemanha.

"Explodiu contra o clube", destacou em sua principal chamada pela manhã jornal AS em seu site.

O clube alegou uma lesão na costela para afastar o jogador do time em partidas que ele já se sentia em condições de atuar. Ao todo, foram quatro partidas nas quais esteve ausente.

No texto, o AS diz que Neymar "teve a oportunidade de deixar um dardo para sua equipe atual, já que se queixou da falta de ritmo que notaram no jogo por ter ficado fora de campo durante todo o mês de fevereiro por precaução".

O catalão Mundo Deportivo vai na mesma linha e diz que Neymar deu uma "tremenda rajada" com suas palavras.

Na Inglaterra, o jornal The Guardian destacou que Neymar "atacou o PSG" depois da derrota para o Borussia Dortmund.

Sobre a atuação, a publicação disse que "Neymar foi uma sombra pálida de seu brilhantismo apesar de ter marcado o gol do PSG".

Na França, muitos jornais destacaram ontem a atuação de Neymar da mesma forma, sem brilho.

O L'Equipe, hoje, deu destaque em seu site para a insatisfação de Neymar: "O atacante brasileiro, artilheiro, mas sem ritmo contra o Dortmund, atacou os líderes e médicos do PSG na gestão de sua lesão", escreveu

A lesão

No dia 2 de fevereiro, Neymar sofreu uma queda no chão no primeiro tempo da partida contra o Montpellier e reclamou de dores nas costas. Ele ainda atuou até o fim do jogo, e somente dois dias depois foi noticiada uma lesão na costela. Enquanto a comissão técnica do PSG insistia ter um problema físico, o entorno do jogador rebatia nos bastidores com a não existência de uma lesão.

Ontem, Neymar falou sobre o assunto: "Isso (o veto) foi coisa decidida pelo clube e médicos e tive que acatar. Tive várias discussões, e não curti o que propuseram, mas respeitei. Isso acaba sendo ruim para mim e companheiros", destacou Neymar em entrevista ao Esporte Interativo após o confronto contra o Borussia Dortmund.

"Eu tive uma fissura, mas não era nada que me impedia de jogar. Já dava para atuar contra o Lyon (dia 9 de fevereiro), mas adiaram e adiaram novamente. Entendo o medo que o clube sofre, mas não pode ser assim. Só acaba sofrendo o jogador. Para mim foi complicado jogar uma partida como essa (contra o Dortmund) sem intensidade, sofrendo. Se tivesse boas condições físicas tenho certeza que seria melhor", complementou Neymar.

Esporte