PUBLICIDADE
Topo

Como Lucas Veríssimo pode resolver saída de bola do Santos de Jesualdo

Lucas Veríssimo, zagueiro do Santos - Divulgação
Lucas Veríssimo, zagueiro do Santos Imagem: Divulgação

Eder Traskini

Colaboração para o UOL, em Santos

19/02/2020 04h00

Resumo da notícia

  • Lucas Veríssimo pode voltar ao time neste sábado, já que Luiz Felipe está suspenso
  • Recuperado de lesão, o zagueiro é o único remanescente da linha de quatro de Sampaoli: o Santos perdeu Victor Ferraz, Jorge e Gustavo Henrique
  • Veríssimo liderou o Peixe e esteve entre os primeiros do Brasileirão no quesito passes
  • O camisa 28 era uma dos principais responsáveis pela saída de jogo qualificada da equipe do argentino

O técnico do Santos, Jesualdo Ferreira, deve ter um grande reforço para a partida deste sábado, às 16h30, contra o Ituano, em Itu, pela sétima rodada do Campeonato Paulista: o zagueiro Lucas Veríssimo. O camisa 28 tem a chance de ser titular, já que Luiz Felipe está suspenso pelo terceiro cartão amarelo.

O defensor era um dos pilares da equipe de Jorge Sampaoli no ano passado e é o único remanescente da linha defensiva que atuou a maior parte do ano com o argentino, já que Victor Ferraz, Jorge e Gustavo Henrique deixaram o Peixe. Veríssimo era cotado em clubes europeus no mercado da bola, mas acabou ficando.

A presença do zagueiro tem potencial para melhorar uma das maiores dificuldades do time de Jesualdo Ferreira neste início de ano: a saída de bola com qualidade, que inicia a construção de jogadas. Veríssimo foi perito nisso durante o Brasileirão do ano passado, segundo dados do "Foostats".

Na competição nacional, o defensor santista foi o terceiro atleta que mais deu passes considerando toda a competição: 1902, sendo 1803 certos, em 33 jogos, uma média de 54 passes por jogo — o que faz de Veríssimo o líder do quesito entre os zagueiros. O índice de erro do santista foi de apenas 5,2%, o segundo menor entre os dez atletas que mais passaram a bola no torneio.

Quando a comparação é interna, Veríssimo lidera com sobras. No ano passado, o segundo em números totais foi o volante Diego Pituca, que atuou dois jogos a mais que ele. Já comparando a média por jogo, Gustavo Henrique é o segundo colocado, com quase dez passes a menos por partida.

E não é só no quesito passes que Veríssimo se destaca. O defensor teve simplesmente o dobro do número de desarmes por jogo de seu companheiro de defesa, Gustavo Henrique: foram 2,4 de Veríssimo (um total de 80 no Brasileiro) e 1,2 de Gustavo (somando 38 no torneio). À frente dele, somente Alison, que quase liderou a competição com 4,1 desarmes por jogo — Marcos Rocha foi o primeiro com 4,2.

Depois de uma vitória convincente sobre o Botafogo-SP, o Peixe fez, na opinião do treinador português, seu pior jogo no ano no empate por 0 a 0 com a Ferroviária. O "teste" contra o Ituano pode ser o último, já que depois o clube terá dois jogos importantes pela frente: o clássico contra o Palmeiras e a estreia na Libertadores.

Santos