PUBLICIDADE
Topo

Allianz Parque tem noite de luxo para lançar clube dos "reis do camarote"

Club 160 foi batizado pelo número de camarotes do Allianz Parque, que estão quase todos vendidos - Arthur Sandes/UOL
Club 160 foi batizado pelo número de camarotes do Allianz Parque, que estão quase todos vendidos Imagem: Arthur Sandes/UOL

Arthur Sandes

Do UOL, em São Paulo

14/02/2020 12h00

A atmosfera era muito diferente do que se espera em um estádio de futebol: ambiente à meia luz, um show com clima intimo, gravatas em vez de camisas 10, e taças com champanhe no lugar das latinhas. Na noite de ontem (13), os donos de camarotes no Allianz Parque se reuniram no lançamento de um clube exclusivo da arena.

O Club 160 nasce para estreitar as relações entre os patrocinadores e proprietários de camarotes do estádio. Um grupo de fazer inveja até ao Lide (o Grupo de Líderes Empresarias) por já começar com 96 marcas associadas. São empresas do quilate de Bradesco, Itaú, Prevent Sênior, Votorantim, J&F, Crefisa, Cielo, 99... Somadas, elas têm patrimônio superior a R$ 150 bilhões — o suficiente para estar entre os 60 maiores PIBs do mundo, se um país fosse. Trata-se do 1% mais rico do Brasil, sem dúvidas. Ou os "reis do camarote", como dito no próprio evento.

A ideia é oferecer novas experiências aos empresários, assim fidelizar os donos de camarotes e quem sabe ver surgir mais negócios neste cenário. "Vocês têm um ativo aqui no Allianz, e nós vamos te ajudar a usar este ativo", anunciou o diretor de marketing e inovação do estádio, Márcio Flores.

Os integrantes do novo clube terão direito, por exemplo, a acessar os bastidores de alguns shows realizados no estádio e ter um "concierge" à disposição para atender qualquer necessidade durante o evento. Também vão poder jogar no campo, em dias de eventos empresariais.

Convidados pisaram no gramado do Allianz um dia após o elenco do Palmeiras conhecer o sintético -
Convidados pisaram no gramado do Allianz um dia após o elenco do Palmeiras conhecer o sintético

Ontem mesmo eles já conheceram de perto a nova grama artificial da casa palmeirense, e alguns até se arriscaram a cobrar pênaltis — entre goles de coquetéis moscow mule e muitas selfies, é claro. Houve também uma breve apresentação de Wilson Simoninha, que cantou clássicos da música brasileira e adaptou o "País Tropical" de Jorge Ben Jor com Palmeiras no lugar de Flamengo.

Antes disso, os convidados tinham brindado o lançamento do Club 160 com champagne Chandon enquanto batiam papo com o presidente do Palmeiras, Maurício Galiotte, que circulava pelo salão. O traje social foi predominante entre as poucas dezenas de pessoas, e camisas alviverdes, mesmo, só haviam duas: uma delas ostentada pela patrocinadora mais importante do clube, Leila Pereira, e outra por um garoto todo fardado que acompanhava um adulto.

Mais encontros como o de ontem vão acontecer nos próximos meses. A convivência entre os empresários deve ganhar também um novo espaço físico: um salão exclusivo nos camarotes e outro na cobertura do Allianz Parque — ou "lounge" e "rooftop", nos termos arquitetônicos usados no evento. "Queremos construir um ambiente em que todos vocês possam se sentir especiais", disse Luis Davantel, o CFO (o chefe de finanças) da WTorre.

Os donos dos camarotes, aliás, foram convidados a voltar ao estádio do Palmeiras neste final de semana. O primeiro jogo da temporada em casa é contra o Mirassol, às 16 horas (de Brasília) deste domingo (16), e vale pela sexta rodada do Campeonato Paulista.

Palmeiras