PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Andrés critica 'futebol caro' e nega preocupação com grana da Libertadores

Andrés Sanchez, presidente do Corinthians, citou salários atrasados em grandes clubes do futebol brasileiro  - Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians
Andrés Sanchez, presidente do Corinthians, citou salários atrasados em grandes clubes do futebol brasileiro Imagem: Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians

Diego Salgado e Samir Carvalho

Do UOL, em São Paulo (SP)

13/02/2020 01h12

Classificação e Jogos

Após a eliminação do Corinthians na chamada pré-Libertadores hoje, diante do Guaraní, do Paraguai, o presidente Andrés Sanchez negou qualquer tipo de preocupação com o dinheiro que o clube paulista deixará de ganhar pela saída precoce na competição continental.

"A gente agora não pensa no dinheiro, pensa na parte técnica, na dor do torcedor, na nossa dor de ser desclassificado na Pré-Libertadores. Vem a tiração do sarro, essas coisas que fazem parte do futebol. Torcedor mostrou que é diferente de todos, aplaudiu o time", afirmou Andrés.

O assunto "dinheiro" também fez parte da coletiva de Andrés quando o mandatário foi questionado sobre reformulação no elenco e possíveis contratações para a sequência da temporada. O dirigente citou salários atrasados em grandes clubes do Brasil e chamou o futebol brasileiro de caro.

"Estamos com um mês e meio de trabalho, gente, não tem como mudar o elenco. Estamos sempre abertos para novas contratações. Mas, como eu digo, futebol brasileiro está muito caro, uma loucura. Vocês estão vendo times grandes atrasando pagamentos. Outros clubes vão atrasar. Perdemos um pouco a mão", disse.

"Eu trouxe o Yony do Benfica, achando que ele ganhava uma fortuna, mas ele está entre os que ganham menos no Corinthians. É difícil, estamos perdendo um pouco a mão, todos têm que ter consciência disso. O planejamento continua, tem o lado ruim de sair da Libertadores, mas o lado bom de que vai ter mais tempo para treinar", completou.

Caso chegasse à fase de grupos da Libertadores, o Corinthians ganharia quase R$ 20 milhões, especificamente R$ 19,8 milhões, em premiações da Conmebol. Valor, aliás, que está previsto no orçamento do clube paulista em 2020, que contém valores de premiações de oitavas de Libertadores e Copa do Brasil, além do sétimo lugar, no mínimo, no Campeonato Brasileiro. Se fosse campeão, o valor chegaria a R$ 100 milhões.

Vale ressaltar que o Alvinegro ainda poderia lucrar com arrecadação de bilheteria na competição continental. Na última Libertadores, por exemplo, a renda bruta em jogos como mandante nunca foi inferior a R$ 2 milhões —contra o Guaraní foram R$ 2,2 milhões, por exemplo.

Futebol