PUBLICIDADE
Topo

Esporte

"Guerra" entre cervejas criou apelido para jogador mexicano do Porto

O meixcano Jesus Corona passou a ostentar o apelido de Tecatito na camisa do Porto somente nesta temporada - Quality Sport Images/Getty Images
O meixcano Jesus Corona passou a ostentar o apelido de Tecatito na camisa do Porto somente nesta temporada Imagem: Quality Sport Images/Getty Images

Bruno Grossi

Do UOL, em São Paulo

12/02/2020 04h00

Resumo da notícia

  • Jesús Corona, do Porto, é chamado desde a adolescência de Tecatito
  • Apelido tem a ver com as duas principais marcas de cerveja do México
  • O jogador atuava em time patrocinado pela Tecate, concorrente da Corona
  • Invenção do apelido serviu para disfarçar uma possível propaganda rival
  • Depois de anos, apelido voltou a ser usado nas camisas do mexicano no Porto

O Porto entra em campo às 17h45 de hoje (12) contra o Académico de Viseu para tentar chegar à decisão da Taça de Portugal. E para isso conta com um jogador que vive temporada cheia de inspiração depois que decidiu mostrar para o mundo seu apelido do início da carreira. Jesus Corona se transformou de vez em Tecatito, trazendo à tona uma história curiosa que mistura cerveja e futebol mexicano.

Ainda jovem, recém-promovido ao elenco profissional do Monterrey, Corona estava no vestiário prestes a estrear. Quando o técnico Victor Vucetich olhou para a camisa do garoto, não conseguiu segurar o riso. Afinal, Corona é o nome da marca mais famosa de cerveja do México e o Monterrey era patrocinado por uma concorrente, a Tecate. Logo, no uniforme do jogador, havia o patrocínio Tecate com o sobrenome Corona logo abaixo.

"Ele ia estrear naquele dia e falei como brincadeira que, por causa dos nomes das empresas, ninguém ia poder falar o nome dele. Aí brinquei que deveríamos chamá-lo de Tecatito, como o diminutivo da patrocinadora do Monterrey e por ele ser um jovem naquele momento. A partir disso, todos começaram a chamá-lo só de Tecatito", contou Vucetich, ao UOL Esporte.

O técnico brincou que nunca recebeu nenhum presente da Tecate por causa desse "favor" e até hoje guarda com carinho o fato de ter lançado Corona.

Em Portugal, o apelido de Tecatito nunca foi segredo para ninguém. Os companheiros de Porto sempre o chamaram dessa forma e até seu perfil no Twitter exibe apenas o apelido — o sobrenome Corona fica resumido a um C. Só que depois de cinco temporadas nos Dragões, o mexicano surpreendeu ao aparecer pela primeira vez com o apelido estampado nas camisas de jogo, como acontecia no Monterrey.

Isso tem explicação, como relatou o jornalista português Luis Rodrigues, do site ZeroZero: "Foi algo que chamou a atenção e foi uma iniciativa própria dele, que buscava um amuleto para ter uma temporada melhor. Ele tem variado muito. Quando chegou, usava 'J. Corona', depois mudou para 'Corona', a seguir para 'Jesus C.' e, finalmente, tentou essa camisa com 'Tecatito'. É superstição, apenas".

Por sorte ou não, Corona tem conseguido melhor desempenho nesta temporada, quando foi fixado de vez na lateral direita depois de anos como meia ou ponta. Na última segunda-feira (10), foi eleito o autor do gol mais bonito do mês de janeiro em Portugal e no fim de semana viralizou na internet com um drible desconcertante em Rafa, do rival Benfica — veja o vídeo abaixo.

"Ele sempre foi um jogador muito bom e mais extraordinário ainda como pessoa. Essa troca de posição é apenas uma das mudanças que fazemos com o tempo para seguir obtendo resultados diante das nossas condições", destacou Victor Vucetich, que hoje é treinador do Querétaro, também do México.

Esporte