PUBLICIDADE
Topo

Flamengo

Na semi da Taça Guabanara, Odair e Jesus voltam a medir força em mata-mata 

Jesus e Odair se reencontram no Maracanã para o Fla-Flu da semi da Taça Guanabara - Montagem/UOL
Jesus e Odair se reencontram no Maracanã para o Fla-Flu da semi da Taça Guanabara Imagem: Montagem/UOL

Alexandre Araújo e Caio Blois

Do UOL, no Rio de Janeiro (RJ)

12/02/2020 04h00

Classificação e Jogos

A semifinal da Taça Guanabara coloca novamente Odair Hellmann e Jorge Jesus frente a frente em uma partida mata-mata. Os dois técnicos mediram forças há seis meses, nas quartas de final da Libertadores, com Odair, à época, pelo Internacional e o português já pelo Rubro-Negro. O duelo acabou sendo um divisor de águas para ambos.

Em agosto do ano passado, Jesus levou a melhor e garantiu o Fla na semifinal da competição continental. Desta vez, Odair pode jogar por um empate para garantir vaga na decisão, uma vez que o Flu foi o primeiro colocado do Grupo B, enquanto a equipe da Gávea foi a segunda do Grupo A.

O cenário do duelo de hoje (12) é diferente daquele de meses atrás. Após uma atuação cambaleante na fase de grupos, o Flamengo, que ainda dava os primeiros passos com Jorge Jesus no comando, chegou às oitavas de final envolto em dúvidas e passou pelo Emelec, do Equador, nos pênaltis. Já o Internacional, vinha em uma crescente e não havia encontrado muitas barreiras para eliminar o Nacional, do Uruguai.

Assim, com um Rubro-Negro em meio a contestações e um Colorado que se mostrava consistente, as equipes se encontraram nas quartas de final, duelo que acabou marcando 2019 para ambos os lados.

O primeiro confronto foi no Maracanã e, após um primeiro tempo equilibrado, brilhou a estrela de Bruno Henrique, que balançou a rede duas vezes e colocou o time da Gávea em vantagem.

No Beira-Rio, o Inter não conseguiu aproveitar o fator casa e, com um empate em 1 a 1, viu o adversário garantir a classificação.

Depois do embate, o Flamengo manteve uma caminhada vitoriosa na temporada, conquistando o Campeonato Brasileiro e a Libertadores — com direito a goleada sobte o Grêmio na semifinal. Já o Internacional passou a oscilar e Odair ter o trabalho contestado. Mesmo com a classificação para a Libertadores deste ano, os caminhos do treinador e do elenco colorado não foram mais os mesmos após o fim do ano.

Odair Hellmann chegou ao Fluminense para ser o novo treinador da equipe em 2020, substituindo seu ex-companheiro Marcão, que ficou até o final do Brasileiro de forma interina. Como jogador, curiosamente, o catarinense nunca perdeu um Fla-Flu. Em sua estreia no clássico como técnico, manteve a invencibilidade com a vitória por 1 a 0, na fase de grupos, com um golaço de calcanhar de Nenê.

Em caminhos bem diferentes, os dois se reencontram no Maracanã nesta noite (12), às 20h30. O Flu tem a vantagem do empate, mas o Flamengo, pelo que fez em 2019, é favorito para o jogo. Nada que assuste Gilberto, o escolhido para falar no CT Carlos Castilho na última coletiva antes da partida.

"Não sou muito de defender um favoritismo muito grande quando se fala de clássico. Qualquer um pode estar em um dia melhor e vencer. O Fluminense também é muito grande. O Flamengo, na questão financeira, sai na frente de todos os clubes brasileiros, briga com o Palmeiras, mas dentro de campo são 11 contra 11. Quem tiver mais vontade, em um dia melhor, pode conseguir a vitória. Em clássico não tem isso, a rivalidade fala mais alto", opinou.

No lado rubro-negro, o incêndio no Ninho do Urubu, que completou um ano sem que haja resoluções, dominou as manchetes da semana. Com os bastidores quentes e saídas importantes na diretoria, o "campo e bola" ficou em segundo plano, e o elenco adotou o silêncio. Em 2019, na primeira partida após o caso, o Flu bateu o Fla por 1 a 0, por acaso também na semifinal da Taça Guanabara.

FICHA TÉCNICA

FLUMINENSE x FLAMENGO

Local: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)
Data e hora: 12 de fevereiro de 2020 (quarta-feira), às 20h30
Árbitro: Grazianni Maciel Rocha
Assistentes: Luiz Claudio Regazone e Michel Correia

FLUMINENSE: Muriel; Gilberto, Luccas Claro, Digão e Egídio; Henrique, Yuri e Nenê; Wellington Silva, Marcos Paulo e Evanilson. Técnico: Odair Helmann.

FLAMENGO: Diego Alves; Rafinha, Gustavo Henrique, Léo Pereira e Renê; Willian Arão, Diego (Gerson), Everton Ribeiro (Michael) e Arrascaeta; Bruno Henrique e Gabigol (Pedro). Técnico: Jorge Jesus

Flamengo