PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Como Santos segurou Soteldo mesmo com proposta inferior à do Atlético-MG

Santos brinca com "dia do fico" de Soteldo; atacante era alvo do Atlético-MG no mercado da bola 2020 - Reprodução/@SantosFC
Santos brinca com "dia do fico" de Soteldo; atacante era alvo do Atlético-MG no mercado da bola 2020 Imagem: Reprodução/@SantosFC

Eder Traskini e Thiago Fernandes

Do UOL, em Belo Horizonte (MG) e Santos (SP)

12/02/2020 04h00

Resumo da notícia

  • O Santos anunciou a renovação de contrato com Soteldo até 2023
  • O venezuelano estava na mira do Galo e ganhou um aumento para ficar no Peixe
  • No entanto, mesmo após o reajuste, o salário do atleta na Vila Belmiro será inferior ao que receberia em Minas Gerais
  • O Peixe contou com a compreensão de Soteldo sobre a situação financeira do clube, explicada pelo Superintendente William Thomas

O Santos teve ao menos três reuniões com Soteldo e um de seus empresários, Gabriel Sabate, antes de chegar a um acordo para a permanência do venezuelano, que renovou até 2023. O Peixe explicou a situação financeira atual do clube e contou com a compreensão do camisa 10 para assinar um novo contrato com valores inferiores aos que ganharia no Atlético-MG, principal interessado no jogador no mercado da bola.

O superintendente William Thomas foi de suma importância durante as conversas. Foi ele quem conduziu boa parte das reuniões e mostrou que o Santos não pode fazer loucuras, como fez no ano passado, e ultrapassar o valor que uma vez foi o teto salarial santista. O venezuelano recebia pouco menos de R$ 300 mil e, agora, ganhará na casa dos R$ 400 mil.

Ainda assim, o salário é inferior aos de Uribe e Bryan Ruiz, sem contar Cueva que está em litígio com o clube na Fifa. Soteldo está ciente disso e aceitou a oferta pois entendeu o compromisso da nova diretoria executiva em não dar um "passo maior que a perna".

Sabate esteve na Vila Belmiro para assistir Santos e Botafogo-SP, na última segunda-feira, e foi acompanhado por Matheus Rodrigues, membro do Comitê de Gestão do Santos. Após a bela exibição de Soteldo na vitória, o empresário deixou o estádio mais otimista, mas ainda sem um denominador comum, que só veio na reunião de ontem (11).

O Atlético planejava pagar o seu teto salarial em uma eventual transferência de Soteldo. A proposta era para uma remuneração fixa de R$ 500 mil mensais, com R$ 300 mil na CLT (Consolidação das Leis Trabalhistas) e R$ 200 mil por meio de direito de imagem. Além do vencimento, o jogador receberia também luvas diluídas no contrato e bônus por conquistas. Os agentes do jogador também teriam comissão por causa do acordo na Cidade do Galo.

Como publicou o UOL Esporte, o clube mineiro ofereceu US$ 12 milhões (R$ 51 milhões) para tirar o venezuelano da Vila Belmiro e contava com a pressão do Huachipato, do Chile, pela venda do atacante.

Baseados em uma cláusula no contrato de transferência de Soteldo, os chilenos afirmaram que o Peixe deveria adquirir os 50% que ainda pertencem ao ex-clube de Soteldo imediatamente pelo valor de US$ 6 milhões (cerca de R$ 25 milhões) caso rejeitasse a oferta do Galo. O clube da Vila Belmiro, entretanto, não entendeu dessa forma e acredita que pode pagar o valor até o fim do vínculo do jogador.

Já a dívida santista com os agentes de Soteldo, revelada em entrevista exclusiva do venezuelano ao UOL Esporte, deve ser paga no próximo mês, junto com a próxima parcela dos US$ 3,5 milhões (R$ 13 milhões na cotação da época) acordados com o Huachipato por 50% dos direitos econômicos do jogador.

Dudamel jogou contra

Ao contrário do que poderia acontecer, o fato de Dudamel, atual técnico do Atlético-MG, já ter trabalhado com Soteldo na seleção venezuelana não foi um fator que pesou a favor do Galo. Pelo contrário: jogou contra.

Soteldo e seus representantes têm relação muito desgastada com Dudamel, principalmente por problemas durante as convocações para a seleção do país. O camisa 10 santista era sempre reserva na seleção e sequer havia sido convocado para a Copa América, entrando após uma lesão.

Futebol