PUBLICIDADE
Topo

Paulo Baier pede demissão no Toledo e 'cancela' reencontro com Athletico

Paulo Baier se despediu do Athletico-PR na temporada 2013, como ídolo - AGIF
Paulo Baier se despediu do Athletico-PR na temporada 2013, como ídolo Imagem: AGIF

Napoleão de Almeida

Colaboração para o UOL, em São Paulo

10/02/2020 11h17

Não será desta vez que Paulo Baier, ídolo do Athletico entre 2009 e 13, vai reencontrar seu ex-clube. O agora treinador deixou o comando do Toledo depois de apenas seis rodadas pelo Campeonato Paranaense. O Toledo vai enfrentar o Furacão no próximo sábado (15), às 17h, na Arena da Baixada.

Baier pediu demissão após a derrota para o Rio Branco em casa, o que deixou o atual vice-campeão estadual a um ponto da zona de rebaixamento. Ele não esperou nem o contato com os jogadores no vestiário para anunciar sua decisão.

"Estou saindo do Toledo porque não consegui tirar nada do time. Peço desculpas ao torcedor. Saio para tentar ajudar, que de repente venha um outro profissional que possa ajudar o Toledo. É uma decisão minha", disse Baier, ainda dentro de campo.

Paulo Baier chegou ao Athletico em 2009 para uma trajetória que o colocou como ídolo da torcida em um momento de reconstrução do clube, em meio às obras para a Arena da Copa 2014. Nos bastidores, repercutia também a ruptura política entre Mario Celso Petraglia e Marcos Malucelli, que ocupava a presidência naquele momento. Baier fez 180 jogos e 63 gols com a camisa rubro-negra.

O já veterano foi o comandante da equipe vice-campeã da Copa do Brasil e terceira colocada na Série A 2013, seu último ano de Furacão. Mas também esteve em campo na campanha do rebaixamento para a Série B em 2011 após 16 temporadas seguidas na elite brasileira. Baier participaria do elenco que disputou a Libertadores em 2014 e chegou a ter sua renovação contratual anunciada nos alto-falantes da Vila Capanema durante uma partida no fim de 2013. Porém, acabou rompendo com Petraglia, que voltou ao clube em 2012, e deixou o Furacão.

O anúncio da renovação fez com que o ex-jogador processasse o clube em 2014, pedindo valores proporcionais ao contrato que cumpriria. Dois anos depois, porém, fez um acordo com o Athletico e retirou o processo trabalhista em que pediu cerca de R$ 600 mil.

Atual bicampeão, o Athletico ocupa a quinta posição do campeonato estadual, com seu time de aspirantes.

Na Arena da Baixada, a prioridade da semana é obviamente a preparação para a disputa da Supercopa do Brasil contra o Flamengo irá jogar com o Toledo no sábado e colocará a equipe principal em campo já no dia seguinte, em Brasília, quando decide a Supercopa do Brasil diante do Flamengo, no domingo (16), às 11h, em Brasília.

Athletico